Por erro do piloto, Boeing 777 da Aeroflot se aproximou demais de prédios em Moscou

As autoridades russas detalharam um incidente grave durante o qual um Boeing 777-300ER da Aeroflot teria supostamente capturado um falso sinal de “glide slope” ao se aproximar para a pista 24R do Aeroporto Internacional de Moscou, resultando numa descida a baixa altitude antes de executar uma arremetida de última hora. Mas as investigações descobriram outra coisa.

russas
Foto de Fedor Leukhin via Wikimedia Commons

O incidente ocorreu em 18 de dezembro com um Boeing 777-300 da Aeroflot, enquanto cumpria o voo SU209, vindo de Xangai. Em um certo momento durante a aproximação, os sinais de alerta de proximidade com o solo soaram na cabine, obrigando os pilotos a agirem rápido para subir com a aeronave.

Pista 24R

A pista 24R de Sheremetyevo, a terceira do aeroporto, foi inaugurada em setembro do ano passado, mas os moradores de Moscou, particularmente aqueles em prédios altos no distrito de Lobnya, a leste, expressaram preocupações com o ruído e a proximidade das aeronaves.

Em dezembro, um grupo de campanha local destacou publicamente um incidente em que uma aeronave havia sido observada em baixa altitude – o grupo alegou que estava abaixo do sexto andar de um arranha-céu – descendo pela neblina a 5 km do aeroporto.

Apesar do exagero dos locais quanto a altitude da aeronave (dados do radar mostram o avião realmente baixo, a 120 metros de altura, mas ainda longe do sexto andar), os motores à potência máxima causaram um forte ruído e vibrações em toda a vizinhança.

Descida abaixo da rampa

A agência russa Rosaviatsia informou, em uma comunicação de 4 de fevereiro, as suspeitas de que um 777 da Aeroflot estava envolvido no incidente. À época, ela disse que a descida abaixo da rampa de aproximação correta para a 24R ocorreu como resultado de sistemas da aeronave terem capturado um sinal de glide slope falso, mas não detalhou essa observação.

Mais tarde, a Rosaviatsia descobriu violações nos procedimentos estabelecidos para executar a aproximação, classificando o incidente como muito grave e acrescentando que o comandante foi demitido. O primeiro-oficial foi repreendido e foi solicitado treinamento adicional a toda a equipe.

A Rosaviatsia acrescenta que a empresa estatal russa de gerenciamento de tráfego aéreo realizou uma análise mais aprofundada do voo SU209 com a intenção de fornecer às tripulações informações efetivas sobre os desvios dos trajetos de aproximação. O serviço de navegação aérea de Sheremetyevo também deve receber novos sistemas entre 2020 e 2021 para melhorar os recursos de controle da terceira pista.

A Rosaviatsia diz que acredita que as medidas adotadas pela Aeroflot e pelo serviço de navegação aérea são “suficientes” para remediar os problemas.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.