Por que a emergência de hoje do Boeing 767 ganhou tanta exposição, derrubando o FlightRadar?

O incidente dessa segunda-feira, 3 de fevereiro, envolvendo o pouso de emergência de um Boeing 767, ganhou tanta exposição na mídia que chegou ao ponto de derrubar o famoso site de cobertura radar FlightRadar24. O que teria levado a todo esse destaque, se pousos de emergência ocorrem diariamente ao redor do mundo?

Avião Boeing 767 Air Canada

O que aconteceu?

Na tarde de hoje, o voo Air Canada 837, operado pelo Boeing 767-300ER de matrícula C-GHOZ, decolava de Madri para Toronto às 13h57 (horário GMT) quando, durante a corrida, um dos pneus do trem de pouso esquerdo estourou.

Adicionalmente, logo no início da subida, o motor esquerdo sofreu uma série de estóis de compressor, emitindo estrondos e labaredas. Por enquanto, não é possível determinar se há alguma ligação entre o estouro do pneu e o problema de motor, como, por exemplo, uma ingestão de borracha lançada para frente pelo estouro.

Avião Boeing 767 Air Canada Motor Chamas
O motor do 767 emitindo chamas hoje após a decolagem

Diante da ocorrência com o motor e o pneu, os pilotos do Boeing 767 iniciaram uma longa sequência de órbitas para queimar combustível, até que o jato estivesse leve o suficiente para um pouso de emergência seguro, já que a aeronave em questão não possui sistema de alijamento (descarte do querosene no ar).

Foram mais de 4 horas de voo e quase 40 órbitas em duas posições diferentes nas proximidades do aeroporto de Madrid-Barajas até que o peso estivesse no valor adequado definido, o que resultou em um pouso bem-sucedido por volta das 18h06 (GMT).

Air Canada 767 Pneu Estourado Madrid
O pneu estourado na posição exterior traseira do trem de pouso esquerdo do 767
Air Canada 767 Pneu Estourado Madrid

Exposição mundial e queda do FlightRadar24

O incidente seria apenas mais um pouso de emergência como os que ocorrem todos os dias na aviação pelo mundo todo. Porém, uma série de fatores contribuiu para que este caso ganhasse tanta exposição midiática que chegou a derrubar os servidores do FlightRadar24, o mais popular site/aplicativo de acompanhamento radar, devido ao alto número de pessoas acessando-o para acompanhar o Boeing 767.

FlightRadar24 Emergência Trem de Pouso 767 Air Canada Madrid
A trajetória toda do voo do 767, capturada pelo FlightRadar24

Tudo começou pela própria decolagem. Como tem sido cada mais frequente nos principais aeroportos do mundo, spotters (os apaixonados por aviões que ficam fotografando/observando) estavam nas imediações do Barajas e presenciaram os problemas do C-GHOZ. A informação então começou a se espalhar pelas mídias sociais.

Até aí, nada tão significativo, uma vez que a informação ficaria restrita aos spotters caso a aeronave pousasse poucos minutos depois, como é o mais comum de acontecer.

Mas, o 767 em questão não possui sistema de alijamento de combustível, que permitiria rapidamente reduzir seu peso como ocorreu com o Boeing 777 da Delta duas semanas atrás. Assim, as informações passaram a chegar aos veículos de notícia especializados em aviação e, logo depois, aos grandes portais tradicionais, enquanto a aeronave ainda estava em voo e com uma previsão de várias horas de espera até o pouso.

Avião Boeing 777 Delta Alijamento Combustível
O 777 da Delta alijando combustível em janeiro passado

Adicionalmente, enquanto a notícia se espalhava e a mídia se mobilizava para uma cobertura ao vivo do desfecho do incidente, um vídeo gravado a bordo do voo da Air Canada já ganhava as mídias sociais com a aeronave ainda em voo, chamando ainda mais atenção. Um passageiro gravou um caça voando ao lado do 767.

É comum que em casos como esse, envolvendo um estouro de pneu em que outras partes da aeronave possam vir a ser danificadas por detritos, caças sejam acionados para emparelharem com o jato e fazerem uma avaliação visual do exterior. Um procedimento normal para a segurança da operação, mas uma visão diferenciada para os passageiros. Veja a seguir como foi a experiência de hoje, filmada pelo viajante:

Com todos esses fatores atuando em favor de uma exposição global da emergência que se desenvolvia no céu da Espanha, e muito tempo disponível para que tudo se espalhasse, mais e mais pessoas passaram a acompanhar a trajetória do Boeing 767 no FlightRadar24 até a queda do servidor, que permaneceu fora de funcionamento correto até o pouso se completar.

Diversos sites e canais do Youtube passaram a transmitir ao vivo os pousos no aeroporto de Madrid, até que no cair da noite, já em condições bastante limitadas de visibilidade para as câmeras, o C-GHOZ da Air Canada efetuou sua aproximação e seu pouso bem sucedido:

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias