Por suspeita de vírus a bordo, Mianmar manda passageiros reembarcarem e avião voltar à China

O governo de Mianmar mandou um avião chinês retornar com a maioria dos passageiros, incluindo cidadãos franceses e americanos, depois que um homem suspeito de contrair o coronavírus foi levado ao hospital. O caso foi reportado pelo Channel News Asia.

vírus
Foto de Kentaro Iemoto via Wikimedia Commons

Até agora, nenhum caso do patógeno que matou 213 pessoas na China foi relatado em Mianmar, mas os receios crescem no empobrecido país do sudeste asiático, que compartilha uma fronteira com a China.

Que voo foi esse?

Um total de 79 pessoas estavam a bordo do voo 3055 da China Southern na manhã desta sexta-feira, 31 de janeiro. A operação era procedente de Guangzhou, na China e levava a bordo dois americanos, dois franceses, dois cidadãos de Mianmar, um colombiano e 72 chineses, segundo autoridades do aeroporto.

Por estar passando mal, um passageiro chinês foi levado a um hospital próximo, depois de exibir sintomas associados ao coronavírus, disse Soe Paing, gerente do departamento de aviação civil de Mianmar. Segundo o Channel News Asia, um repórter da AFP viu trabalhadores usando equipamento de proteção completo, enquanto colocavam o chinês numa ambulância do aeroporto, ainda no pátio.

Os dois cidadãos de Mianmar também foram autorizados a desembarcar e levados ao mesmo hospital para verificação, acrescentou Soe Paing. “O resto das pessoas no voo foram mandadas de volta”. Um policial do aeroporto também confirmou o retorno dos passageiros e de nenhum embarque para o voo de volta.

Apesar da falta de casos confirmados no país, os especialistas temem que seu sistema de saúde frágil não seja capaz de lidar com um surto grave. Mianmar também está aguardando permissão para evacuar mais de 60 estudantes presos em Wuhan desde que a cidade, a origem da epidemia, foi isolada na semana passada.

Vários países suspenderam voos para a China ou restringiram a entrada de estrangeiros em meio ao medo de que o vírus se espalhe e Mianmar tem discutido a adoção de medidas semelhantes.

Cingapura anunciou nesta sexta-feira uma proibição total de entrada e passageiros em trânsito da China Continental horas após a Organização Mundial de Saúde declarar uma emergência global. Até o momento, a doença se espalhou para mais de 20 nações e infectou quase 10.000 pessoas, embora não haja mortes relatadas fora da China.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias