Porcos estão proibidos de comer as refeições de companhias aéreas, na Indonésia

Porcos acostumados a receber refeições gourmet de companhias aéreas no jantar não poderão mais desfrutar dessas iguarias. As autoridades de Bali proibiram a alimentação de refeições aéreas para porcos na ilha, à medida que crescem os temores pela propagação da febre suína africana.

Indonésia

Atender a centenas de viajantes é uma tarefa difícil para qualquer companhia aérea. Apesar de sempre buscar um balanço no que é oferecido, com vistas a não sobrar alimentos, essa é uma tarefa quase impossível. Isto significa que há muitas refeições desperdiçadas em cada voo, o que é uma coisa chocante quando você pensa sobre isso. Então, se por lei, as sobras não podem ser destinadas ao consumo humano, a saída foi doar para os animais, o que é muito melhor do que simplesmente jogar no lixo.

Infelizmente, as companhias aéreas estão em uma posição difícil. Elas não podem usar as refeições em outros voos, pois há uma janela estreita entre a qual a refeição é preparada e servida, após o que precisa ser armazenada. Por esse motivo, algumas companhias aéreas e aeroportos formaram parcerias com agricultores locais para fornecer resíduos alimentares para serem entregues aos porcos.

Agora, eu dúvido que algum passageiro imagine que sua refeição – ou o que sobrar dela – alimentaria a um porco faminto. No entanto, os porcos que vivem na ilha indonésia de Bali desfrutavam bastante da comida que restava dos aviões. Mas isso acabou, segundo reporta o 7News.

Devido a preocupações com o aumento de casos de gripe suína africana, os pobres porquinhos estão proibidos de comer as comidas das companhias aéreas. As autoridades dizem que os restos de alimentos podem estar infectados com o vírus, que não é perigoso para os seres humanos, mas pode matar rebanhos inteiros de porcos.

Tá proibido

O governo de Bali emitiu uma carta proibindo os criadores de porcos de usarem restos de comida. Eles destacaram particularmente os perigos do uso de alimentos de aeronaves que visitaram países onde a gripe suína está ativa. A carta diz:

“A gripe suína africana matou cerca de 34.000 porcos no norte de Sumatra, e com 760.000 porcos vivendo em Bali, as autoridades não estão se arriscando. Além de proibir as companhias aéreas de doar alimentos para fazendas de porcos, os passageiros podem esperar controles alfandegários mais rígidos, com qualquer item encontrado sendo confiscado e destruído”.

A alimentação de porcos com resíduos de alimentos era prática normal em todo o mundo até os anos 90. Mas desde a crise da vaca-louca de 1996, o Ocidente parou de alimentar restos de porcos, apesar dos esforços dos ativistas para trazê-lo de volta. No entanto, no Oriente, as regras são menos rigorosas. Isso significa que aviões que aterrissam em aeroportos com restos de comida podem usar bem sua salada indesejada ou aquele camarão, para alimentar porcos.

Infelizmente, para esses porcos em Bali, não haverá mais refeições nas companhias aéreas. Com alguma sorte, é uma decisão que os manterá vivos.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias