Porta de carga de Boeing 757 abre em voo e encomendas voam pelo céu

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Um jato Boeing 757 cargueiro acabou tendo que retornar às pressas para o aeroporto após a sua porta de cargas abrir após a decolagem. O caso ocorreu na tarde de hoje.

O caso aconteceu na tarde de hoje, 13 de fevereiro, no Aeroporto de Leipzig, na Alemanha, envolvendo um 757-200 da DHL, de matrícula G-DHKZ, que estava voando para Frankfurt num curto voo doméstico.

O avião decolou normalmente da pista 26L do aeroporto e subiu até 5.300 pés (1.600 metros) de altitude, quando a porta de carga da aeronave abriu repentinamente. Peças da aeronave e, provavelmente, alguns pacotes de encomenda começaram a sair do jato. Objetos caídos do avião foram encontrados numa usina de carvão onde o Boeing sobrevoou.

Com a porta aberta e com risco dela se desprender do avião, podendo causar uma tragédia, a tripulação decidiu pelo retorno imediato ao aeroporto de Leipzig, apenas 15 minutos após a decolagem segundo o portal The Aviation Herald.

Na foto que ilustra a abertura dessa reportagem, e divulgada pela página Breaking Aviation News, é possível ver uma longa mancha de sujeira logo após a porta da aeronave, que pode ter sido causada por algo que saiu da aeronave durante o voo e que atingiu a fuselagem.

Casos assim são bem incomuns, já que as portas são construídas e reforçadas de acordo com a especificação do fabricante (no caso de jatos convertidos), e que, segundo pilotos que voam a aeronave, o manual permite que elas fiquem abertas com a velocidade de até 45 nós (83 km/h), bem abaixo da velocidade que o jato atingiu durante o curto voo, que foi de 280 nós (518 km/h).

Apesar do susto, nenhuma pessoa ficou ferida e a tripulação conseguiu pousar o 757 sem nenhum outro problema. A aeronave foi então rebocada para um pátio para passar por investigação e manutenção.

Aeronave quase voou no Brasil

Esse 757-200 foi fabricado em 1992 e entregue à britânica Inter European Airways para voos de passageiros. Em 2011 foi convertido para cargueiro e quase foi alocado para a start-up brasileira CargoBis com a matrícula PP-BIZ, segundo o portal Planespotters.

A CargoBis foi mais uma empresa aérea brasileira natimorta e que não saiu do papel. A sua base seria em São José dos Campos e teria outro 757 além deste envolvido no incidente de hoje, segundo o portal AeroMuseu.

Divulgação – CargoBis

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Nella quer seu primeiro A320 no Brasil em agosto e fala...

0
Durante entrevista ao jornalista Robert Zwerdling e seus convidados do Canal ASA, na noite deste domingo (20), os representantes da Nella