Portais informam expansão da Azul em Guarulhos, mas notícia é velha e imprecisa

Diversos portais de notícias têm divulgado que o aeroporto de Guarulhos, o GRU Airport, estaria no momento presente implantando alterações em seu Terminal 1 para auxiliar em uma expansão das operações da companhia aérea Azul.

João Pita Gerente Negócios GRU Airport Guarulhos
João Pita, Gerente de Negócios do GRU Airport

Baseados em um vídeo da entrevista que o Gerente de Negócios do GRU Airport, João Pita, deu ao portal CAPA, os sites estão fazendo duas afirmações.

Uma delas diz respeito à implantação de uma nova praça de alimentação no mezanino do Terminal 1 para atender ao crescimento dos voos. A outra afirmação fala sobre a ampliação do pátio de operações do Terminal, utilizado exclusivamente pela Azul.

Mas, ao assistir o vídeo abaixo, em que João Pita é entrevistado em inglês pelo CAPA, vemos que as informações são ultrapassadas e incorretas pela forma como estão sendo divulgadas.

O gerente do GRU Airport afirma as mudanças estariam operacionais em setembro ou, o mais tardar, em outubro, o que demonstra que o vídeo não é atual. De fato, ele foi gravado no meio de setembro, em um encontro promovido pelo CAPA em Curaçao, o CAPA Latin America Aviation & LCCs Summit.

Note também que Pita afirma que seriam inauguradas 6 novas posições para aeronaves “widebody”. Esse nome é dado às aeronaves de corredor duplo que realizam principalmente voos internacionais. Como a Azul não opera aeronaves widebody em Guarulhos, Pita provavelmente estava fazendo referência às novas áreas de estacionamento de grandes aeronaves do pátio do GRU Airport, portanto não destinadas especificamente à Azul.

Por fim, o próprio vice-presidente de Receitas da Azul, Abhi Shah, afirmou recentemente, em 14 de outubro, que a empresa não pretende continuar aumentando sua presença no Aeroporto de Guarulhos (SP).

Abhi Shah, Vice-Presidente de Receitas da Azul

Em apresentação aos investidores da companhia aérea no Azul Investor Day, o executivo destacou que o crescimento recente no maior aeroporto brasileiro já foi suficiente para as principais necessidades da empresa: fortalecer rotas ao viajante corporativo e tornar-se mais relevante aos seus parceiros internacionais, como a americana United. “Continuamos muito fortes nas rotas que já voamos, nossa estratégia não mudará”, reiterou Shah.

Portanto, ao menos no momento presente, a Azul demonstra que não fará grandes expansões e o GRU Airport já concluiu suas alterações, que foram destinadas a melhorar a experiência da demanda já consolidada pela Azul no Terminal 1, e não para uma preparação para um novo crescimento.