Início Empresas Aéreas Após demissões, presidente do Sindicato dos Aeronautas pede a renúncia de CEO...

Após demissões, presidente do Sindicato dos Aeronautas pede a renúncia de CEO da LATAM

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

O Presidente do Sindicato dos Aeronautas, Ondino Dutra, pediu a renúncia do CEO da LATAM, Jerome Cadier, após uma série de demissões e falta de acordo com a aérea.

O pedido, em forma de desabafo, foi feito após um dia “escuro” na LATAM, na América Latina: fechamento da filial Argentina, demissão total da equipe de solo no Paraguai, suspensão de contratos na Colômbia e uma série de demissões no Brasil.

Desde o início da noite de ontem, circulam muitas mensagens nos grupos sobre demissões de todos os gerentes de aeroportos da companhia no Brasil.

Demissões e devolução da sede

Segundo apurado pelo AEROIN com fontes de dentro da empresa, a informação não procede totalmente. Uma boa parte dos gerentes foi sim demitida, mas não todos.

Um exemplo é de um gerente que cuidava de duas bases em diferentes regiões do país, foi desligado, e quem assumiu já cuidava de outras quatro bases, acumulando então funções e ficando com seis bases sob sua responsabilidade.

A empresa também estaria devolvendo o prédio da sua sede na Rua Verbo Divino, às margens da Marginal Pinheiros na Zona Sul de São Paulo. Em comunicado interno aos funcionários, a empresa afirmou que é uma medida para contenção de custos, e que os escritórios vão ser transferidos para os hangares da companhia em Congonhas e Guarulhos.

Revolta dos Tripulantes

Semanas atrás, o Jerome deu uma entrevista ao portal Melhores Destinos, onde afirmou que a jornada dos tripulantes de voo era ineficiente e tinha que aumentar o número de horas voadas.

“Não podemos mais aceitar que um tripulante brasileiro seja um dos que menos voa por mês no mundo inteiro. O brasileiro voa no máximo 90 horas, a média é 70, 60 horas. Por que a gente tem que aceitar isso no Brasil, quando na Europa, nos EUA, na Ásia, muitos voam mais de 110, 120 horas? Chega de jabuticaba brasileira aqui”, afirmou o CEO.

A fala foi amplamente divulgada nas redes sociais e também aqui no AEROIN. Desde então, boa parte do grupo de tripulantes da empresa “rompeu” com o CEO e começou a atacá-lo, pedindo sua saída.

Por outro lado, o Presidente do Sindicato dos Aeronautas, Ondino Dutra, disse em live ontem que “se alguém perder o emprego, é por falta de liderança, a empresa está acéfala ao meu ver, e encerro aqui fazendo um pedido: Jerome, renuncia, pelo bem da aviação brasileira e não só para estes tripulantes”.

A falta de um acordo ao nível exigido pelos tripulantes, e que chegou mais tarde do que o da GOL ou Azul, somado ao fato que os pilotos e comissários que trabalhar part-time (meio horário), também desagrada a categoria.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Sair da versão mobile