Primeiro Airbus A380 a ser aposentado na Air France já voa sem pintura na empresa

O primeiro Airbus A380 que será retirado da frota da Air France já perdeu as cores da companhia aérea e está neste momento voando completamente branco para os Estados Unidos.

A380 Air France Pintura Branca Malta
O A380 da Air France sem pintura – Imagem: John Visanich

No último dia 23 de novembro, o A380 de matrícula F-HPJB foi levado até um centro de manutenção na ilha de Malta, em que já se sabia que seria pintado de branco, uma vez que ainda neste mês de dezembro não mais voará pela empresa francesa.

Muitos apostavam que a aeronave já teria dado adeus aos voos comerciais com essa ida à ilha. Porém, após sair de Malta na data de ontem, 13 de dezembro, o gigante foi transladado até Paris no voo de número AF371V e, hoje, assumiu o voo AF90 da Paris para Miami.

Flight Radar 24 Voo A380 F-HPJB Air France Pintura Branca
O voo de hoje do A380 entre Paris e Miami – Imagem: FlightRadar24

Agora, resta saber até quando vão os voos de receita antes que o Airbus A380 da Air Fance seja definitivamente devolvido novamente às mãos do grupo de leasing Dr. Peters.

Você pode acompanhar os voos do A380 da matrícula F-HPJB através deste link ou digitando a matrícula diretamente no campo de busca do FlightRadar24 ou do FlightAware.

Erro de visão e estratégia?

Avião Airbus A380 Air France

Durante a conferência IATA Wings of Change Europe, em Berlim, o CEO do grupo Air France-KLM, Ben Smith, falou sobre a decisão de encerrar o longo relacionamento da Air France com o super-jumbo. Ele disse:

“É um avião pesado. Nos aeroportos para embarcar e desembarcar leva muito tempo com pontes especiais necessárias para acomodar o tamanho. Demora muito tempo para pegar suas malas, ele usa mais combustível. Operacionalmente, não é o melhor avião para usar.”

Sua aposentadoria iminente é uma decisão apoiada pela da CEO Air France, Anne Rigail. Falando à Airline Ratings, ela apelidou o tipo de “totalmente obsoleto, muito caro, muito grande”. Críticas condenatórias, certamente, e algo que foi amplamente ecoado por Smith em Berlim. Mas ele ainda disse algo que mostra um possível erro de visão e estratégia da companhia francesa:

“Dois de nossos grandes concorrentes que também possuem o avião já têm cabines fantásticas … Para gastar esse dinheiro [na reforma das cabines], teríamos que ter rotas nas quais poderíamos usar esse avião”.

E Smith também admitiu que é um ótimo avião nas circunstâncias certas. Ele comentou:

“Obviamente, ele tem um papel especial em aeroportos congestionados. E é um ótimo avião para companhias aéreas que precisam atender a uma necessidade específica. Mas para nós, os aeroportos não estão cheios … [Temos] quatro pistas paralelas, que ainda têm capacidade. Para a maioria dos nossos principais destinos, ainda temos os slots e a capacidade de oferecer as frequências que queremos”.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

George Clooney rejeitou US$35 milhões e não quis fazer um comercial...

0
O ator George Clooney disse em entrevista que recusou uma proposta para ser protagonista de um comercial de companhia aérea