Primeiro-ministro inglês faz voo de 25 minutos e irrita ambientalistas

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, foi criticado depois de usar um avião particular para voar de Doncaster a Darlington – uma viagem que leva menos de uma hora de trem. Ambientalistas se irritaram e a oposição aproveitou a oportunidade.

Boris Johnson
Boris Johnson – Imagem: Chatham House

Boris pegou o avião ao embarcar em uma excursão pelos distritos eleitorais marginais no nordeste do reino, três dias antes das eleições gerais. Doncaster e Darlington são conectadas por uma linha de trem direta que leva 53 minutos, mas o primeiro-ministro optou por um voo de 25 minutos.

Os partidos de oposição criticaram a jornada “desnecessária e prejudicial ao meio ambiente”, enquanto os grupos ambientais a chamaram de “absurda e inaceitável”.

Johnson sempre falou sobre as credenciais verdes de seu partido e, no mês passado, afirmou que “não havia nada mais conservador do que proteger o meio ambiente”.

O ministro e sua equipe, além de jornalistas que viajam com eles, foram os únicos passageiros do voo. Os que estavam a bordo disseram ter apenas dois terços da ocupação.

Anunciando as políticas ambientais de seu partido no mês passado, Johnson disse: “Não há nada mais conservador do que proteger nosso meio ambiente e essas medidas acompanham nosso compromisso líder mundial em reduzir a zero as emissões de gases de efeito estufa até 2050”.

A aeronave utilizada

ATR-72-500 Alsie Express
Imagem: Mark Harkin

O avião operado foi um ATR 72-500 da empresa dinamarquesa Alsie Express, que diz que permite aos clientes “aproveitar ao máximo sua aeronave e seu tempo”.

A empresa iniciou suas operações em 2013, e possui duas aeronaves do mesmo modelo, com capacidade para 48 passageiros, já que possui configuração 100% executiva (O ATR 72 em configuração econômica pode levar até 78 passageiros).

As aeronaves são registradas sob as matrículas OY-CLY e OY-CLZ. Segundo dados do FlightRadar24, o ATR OY-CLY realizou a operação na data de ontem.

Flight Radar 24 Voo Alsie Express Boris Johnson
Rota feita por Boris Johnson – Imagem: FlightRadar24

Críticas e mais críticas

O manifesto do partido promete que os Conservadores “liderarão a luta global contra as mudanças climáticas” e inclui promessas de “apoiar o transporte limpo para garantir ar limpo” e “reprimir o desperdício e o descuido que destrói nosso ambiente natural”.

Andy McDonald, secretário de transportes do partido dos trabalhadores, disse ao The Independent: “Como Boris Johnson pode dizer que está comprometido em reduzir as emissões quando está disposto a fazer voos desnecessários e prejudiciais ao meio ambiente? É a prova viva de que a maioria dos voos é realizada por poucos privilegiados, enquanto o restante de nós paga o preço do aquecimento global. Sob um governo trabalhista, garantiremos que nossos trens e ônibus sejam recebam investimentos adequados, para que Boris Johnson possa tomar decisões mais ecológicas no futuro”.

O cientista chefe do Greenpeace do Reino Unido, Doug Parr, disse: “O manifesto de Boris Johnson ficou em segundo lugar no ranking de clima e natureza, e agora ele está turbinando sua pegada de carbono durante uma campanha eleitoral em que a emergência climática é uma das principais preocupações dos eleitores. É absurdo e inaceitável que alguém pegue um voo para uma viagem que poderia ser feita em menos de uma hora de trem, principalmente o primeiro ministro, que deveria liderar pelo exemplo. Isso faz com que sua falta de ambição por resolver o problema seja óbvia.”

Aaron Kiely, um ativista climático do Friends of the Earth, disse: “Economizar meia hora de tempo de viagem resultou em uma jornada muito pior para o planeta. É impossível ver que benefício poderia advir de voar por uma distância tão curta, em vez de usar um trem ou até um ônibus de campanha. Ninguém, incluindo o primeiro-ministro, pode se afastar do fato de que menos aviões no céu ajudarão a consertar a crise climática.”

Autoridades do partido conservador disseram que a decisão de voar foi tomada por causa do cronograma apertado do primeiro-ministro.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias