Problema no controle de potência pode ter relação com a queda do B737 na Indonésia

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Avião Boeing 737-500 Sriwijaya Air Indonésia
Imagem: Alec Wilson / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

Enquanto a comissão de investigação sobre a queda do Boeing 737-500 da Sriwijaya Air, ocorrida em 9 de janeiro na Indonésia, aguarda até que as buscas encontrem a memória do gravador de voz da cabine (CVR) no fundo do mar, algumas informações preliminares começam a ser apresentadas.

O Comitê Nacional de Segurança de Transporte (KNKT) da Indonésia afirmou que, conforme recomendam os protocolos de investigação de acidentes, emitirá o relatório preliminar após 30 dias do acidente. Entretanto, segundo a Reuters, pessoas próximas à investigação já informaram que os dados do gravador de dados de voo (FDR) mostram um problema com o controle de aceleração dos motores, que pode estar relacionado à queda.

O problema seria com o sistema automático de controle da potência, o chamado ‘autothrottle’, que já teria apresentado falha alguns dias antes na mesma aeronave de matrícula PK-CLC, que veio a mergulhar em alta velocidade no mar da Baía de Jakarta.

Segundo o Wall Street Journal, as fontes disseram que as informações do FDR permitiram aos investigadores definir que o piloto tentou forçar para fazer o acelerador defeituoso funcionar, ao invés de desativá-lo e passar a controlá-lo manualmente. Dessa forma, é possível que a aeronave tenha enfrentado um voo com níveis de potência diferentes em cada motor durante a subida inicial, resultando em dificuldade no controle do Boeing 737.

Apesar destas possibilidades levantadas, a comissão de investigação ainda aguarda a recuperação da memória do CVR para ouvir o que os pilotos conversaram no cockpit durante a subida e o acidente, e ter uma maior clareza sobre a sequência de fatores que causaram a queda.

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Empresa aérea passa a ajudar funcionários a terem menos dívidas

0
A emrpesa testou a ideia com um pequeno grupo de funcionários e os participantes viram melhora na pontuação de crédito e redução de dívidas.