Problemas com motores PW deixa diversos A320neo em solo

A companhia IndiGo foi forçada a retirar de operação seis aeronaves A320neo desde julho, segundo informa a mídia local indiana. A sexta unidade foi groundeada no Aeroporto Internacional Indira Gandhi nesta semana, disse a companhia aérea, que tentou minimizar a situação afirmando ser uma manutenção de rotina.
 



“Um A320neo da IndiGo foi parado esta semana e está passando por uma manutenção de rotina no motor. Não há impacto em nossas operações de voo”, disse a companhia em comunicado, sem dar mais detalhes. Fontes, no entanto, disseram que o avião é relativamente novo, não havendo motivo para a parada.
 
Mais cedo, em 25 de julho, a companhia aérea parou cinco aviões A320neo devido a problemas nos motores da Pratt & Whitney, afirmando que eles deveriam estar de volta às operações na segunda quinzena de agosto. Um porta-voz da IndiGo disse que os cinco A320neos esperam por motores sobressalentes da Pratt & Whitney.

Durante os meses de fevereiro e março deste ano, até 14 aviões, incluindo 11 da IndiGo e três da GoAir, teriam sido retirados de operação devido a problemas nos motores PW. A medida foi tomada depois da ocorrência de desligamentos de motor em voo relatados pelas duas companhias.

A Pratt & Whitney divulgou um comunicado dizendo que “está trabalhando de perto com as operadoras para tratar de aeronaves retiradas de serviço conforme os planos estabelecidos de inspeção do motor”.

Além disso, o comunicado da Pratt & Whitney diz que “As remoções de motores estão sendo planejadas e coordenadas com as companhias aéreas, enquanto continuamos a modernizar com sucesso a frota com os motores de configuração atualizada. Algumas aeronaves ficarão temporariamente fora de serviço durante a remoção. Continuaremos a trabalhar com cada companhia aérea enquanto incorporamos melhorias em sua frota.”

 
Informações pelo India Today.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.