Produção do turboélice Dash 8-400 começa a ser suspensa em decorrência da crise

De Havilland Dash 8-400 – Imagem: Kevin Hackert / CC BY-NC 2.0, via Flickr

A linha de produção dos aviões turboélices Dash 8-400, feita pela canadense De Havilland em Downsview, ao norte de Toronto, começa a ser preparada para uma suspensão em decorrência da crise aérea.

Conforme a fabricante havia anunciado em fevereiro, os planos são de uma pausa ao fim da produção das aeronaves encomendadas que atualmente estão sendo montadas, e então uma retomada quando as condições de mercado voltarem a se tornar mais favoráveis.

Com isso, na última quinta-feira (17) a De Havilland informou, em conversa com o FlightGlobal, que já deu início ao processo de suspensão, pois, à medida que as últimas aeronaves estão avançando na linha de produção, vão sendo necessárias medidas de armazenamento e preservação de equipamentos para que se mantenham utilizáveis quando da decisão de retorno dos trabalhos.

“Começamos a primeira fase de nosso plano com a captura de todos os nossos equipamentos de produção do Dash 8”, diz a De Havilland.

Para demonstrar ao mercado que realmente tem planos de voltar à ativa e de não abandonar os atuais operadores dos turboélices Dash 8, a DeHavilland havia detalhado, no anúncio de fevereiro, que estava tomando diversas medidas, tais como investimento em equipe de atendimento ao cliente, desenvolvimento de atualização para a aeronave, inovação para redução de custo operacional, entre outras.

A posterior volta da fabricação dos aviões, porém, ainda tem futuro incerto quanto ao lugar em que acontecerá. Isso porque a empresa havia anunciado que as instalações de Downsview foram vendidas pelo proprietário anterior, a Bombardier, em 2018, para a Longview Aviation Capital com prazo para o local e a pista de pouso serem desativados, havendo assim necessidade de se instalar em outro lugar.

Agora, porém, a fabricante afirmou ao FlightGlogal que “tanto os proprietários da área quanto a De Havilland Canada estão ansiosos para que o nome De Havilland permaneça no local e estão em negociações para esse fim.”

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias