Publicados os procedimentos de saída por instrumentos para o aeroporto Santos Dumont

Aeroporto Santos Dumont – Imagem: Divisão de Operações do ICA / DECEA

Os usuários do Aeroporto Santos Dumont (SDU), no Rio de Janeiro, têm um motivo especial para comemorar a data de hoje, 15 de julho de 2021. Isso porque foram publicados e disponibilizados os Procedimentos de Saída por Instrumentos (SID – do inglês Standard Instrument Departure) para o aeroporto carioca.

Essas SID foram desenvolvidas considerando-se o conceito RNP AR (do inglês Required Navigation Performance – Autorization Required – Performance de Navegação Requerida), que oferecem grandes benefícios às operações aéreas nos aeroportos, especialmente em termos de maior acessibilidade e eficiência de voo. Vão preencher, ainda, uma importante lacuna em relação aos voos que acontecem no Santos-Dumont.

Isso porque as aeronaves podiam realizar operações de aproximação em condições de teto e visibilidade bastante reduzidas, mas ainda não contavam com procedimentos similares de saída que pudessem utilizar para a decolagem.

Imagem: Divisão de Operações do ICA / DECEA

As características principais desse novo tipo de procedimento são:

1 – maior acessibilidade ao Aeroporto Santos Dumont, devido à significativa redução do teto (de 700 pés para “zero” pés) e da visibilidade (de 4.000 metros para 800 metros);

2 – redução da probabilidade de arremetidas e consequente necessidade de prosseguir para aeroportos de alternativa, o que favorece a segurança operacional, a redução de gastos para as empresas e melhora a satisfação dos passageiros;

3 – maior eficiência do voo, uma vez que a aeronave decola em condições de voo por instrumentos, guiando-se pelas trajetórias providas pelo procedimento de saída RNP AR;

4 – maior utilização do aeroporto e redução de problemas associados à malha aérea, tais como atrasos e perdas de conexões, por conta da suspensão das operações devido a condições meteorológicas adversas.

O trabalho foi desenvolvido por uma equipe multidisciplinar, envolvendo especialistas do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), do Instituto de Cartografia Aeronáutica (ICA), do Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV), da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e de empresas aéreas.

Este empreendimento consta do Programa de Trabalho do Grupo de Estudos sobre Planejamento do Espaço Aéreo (GEPEA), que é um fórum permanente, criado com o objetivo de discutir oportunidades de melhorias na organização e gerenciamento do espaço aéreo brasileiro, por meio de estudos específicos.

O Tenente-Coronel Clóvis Fernandes Júnior, responsável pela equipe do DECEA no projeto, também comemorou os resultados alcançados: “Foram dois anos de estudos, pesquisas, simulações e análises para a conclusão do projeto SID RNP AR. Agora as aeronaves já podem pousar e decolar, mesmo em condições meteorológicas desfavoráveis no Aeroporto Santos Dumont, mantendo-se os mesmos níveis de segurança operacional e aumentando, de forma significativa, a eficiência das operações aéreas naquele aeroporto”.

O DECEA já estuda a possibilidade de elaborar saídas RNP AR para outros aeroportos, o que irá ampliar, ainda mais, os benefícios alcançados para o aeroporto Santos Dumont.

Importante ressaltar que, por tratar-se de um procedimento que requer uma autorização “especial”, os usuários devem obter da ANAC uma aprovação para utilizar o procedimento.

Informações da Divisão de Operações do ICA

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Airbus vende 56 aviões para a Índia e 40 deles serão...

0
É o primeiro programa aeroespacial 'Make in India' no setor privado, envolvendo o desenvolvimento de um ecossistema industrial completo.