Qantas se despede do Jumbo Boeing 747 com incrível sobrevoo em Sydney

O Jumbo Boeing 747 teve duas aposentadorias que contaram com sobrevoos no mesmo dia, mas os australianos levaram a competição a sério!

Boeing 747 Qantas

Um helicóptero da TV 9 News captou com detalhes as manobras que o Boeing 747 fazia antes de pousar pela última vez em um voo comercial da companhia aérea de bandeira do país, chegando de Santiago do Chile.

Na mesma data em que a holandesa KLM parava o Jumbo, a australiana Qantas também decidiu por retirar de serviço o seu Jumbo como medida drástica de corte de custos diante da queda na demanda, causada pela Pandemia do Coronavírus.

Enquanto os holandeses se limitaram a uma passagem a uma altura de 1.500 pés (450m) sobre o aeroporto de Amsterdã, os australianos fizeram ao melhor estilo do país sobrevoando a cidade:

Pequeno, notável e bravo!

Boeing 747 SP © Graham Bennet – Qantas

O voo de Santiago do Chile para Sydney marcou o último capítulo da história que começou lá atrás, em 1975, quanto a empresa recebeu o 747-200 nas versões Combi e normal, além, é claro, do menor dos Jumbos: o SP – Special Performance.

Quatorze metros menor que o 747-100, o pequeno Jumbo foi apelidado na Qantas de Stubby Puppy – que seria algo como pequeno cachorro bravo – em alusão ao Sargento Stubby, o primeiro cão de guerra dos EUA e o animal mais condecorado até hoje.

O 747 SP tinha um alcance maior que qualquer aeronave na época e uma performance excelente em pistas menores, sendo o produto ideal para a Qantas.

Cartoon na revista de funcionários da Qantas com caricaturas do 747B (747-200) e o 747SP

Já em 1984, a companhia recebeu o 747-300M, o novo Combi, e depois em 1988 chegou o 747-100 em regime de sub-leasing para sua subsidiária Air Pacific, hoje Fiji Airways.

Atrasado, o 747-100 durou pouco tempo na subsidiária e nunca vestiu as cores da empresa. Mais tarde, em 1989, o primeiro 747-400 chega e quatro anos mais tarde a Qantas recebe o exclusivo 747-400ER, com um tanque de combustível a mais e reforços estruturais.

Esta versão ficou limitada a seis unidades, todas exclusivas da Qantas, que pediu mais 500 milhas (800km) de alcance no Jumbo e a Boeing atendeu. Apesar do limitado uso como passageiros, a versão cargueira -400ERF podia levar mais 10 toneladas de carga e foi um sucesso.

Sendo assim, a Qantas encerra uma bela história, ainda que de maneira forçada, de 45 anos do Jumbo na companhia que chegou perto da marca de operar todas as variantes, restando apenas quatro: -400M, -400F, -400ERF e o raríssimo 747SR japonês.

Ficou curioso para saber a tradição australiana de passagens baixas no meio da cidade? Veja abaixo:

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Airbus A330 sai da pista no pouso e falta de proficiência...

0
O piloto buscou direcionar o A330 para a linha central da pista aplicando o pedal direito, mas o trem de pouso esquerdo saiu para a grama.