Qantas entra no rol de empresas que exigirão a vacinação de seus tripulantes

Como forma de agilizar o tão necessário reinício seguro das operações aéreas de passageiros, o Grupo Qantas instruiu sua equipe a completar o esquema de vacinação da COVID-19.

Qantas Airways
Boeing 787 Qantas Airways – Imagem: BriYYZ de Toronto, Canadá, CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

Em um comunicado à imprensa, o grupo afirmou que todos os funcionários da linha de frente – incluindo tripulação de cabine, pilotos e funcionários do aeroporto – devem estar totalmente vacinados até 15 de novembro de 2021 e todos os outros funcionários até 15 de novembro de 2021 a 31 de março de 2022.

Conforme relata nosso parceiro Aviaconline, a empresa irá considerar isenções para aqueles que não podem ser vacinados por razões médicas documentadas, embora se espere que “isso seja muito raro”.

A empresa disse que a política é resultado de uma consulta aos funcionários da Qantas e da Jetstar, incluindo uma pesquisa enviada a 22 mil pessoas para obter sua opinião sobre a vacinação. A pesquisa rendeu 12.000 respostas, e daqueles que responderam:

89% foram vacinados pelo menos uma vez ou planejam ser vacinados.
77% foram vacinados pelo menos uma vez
60% estão totalmente vacinados
7% estão indecisos ou preferem não dizer isso
4% não querem ou não podem ser vacinados

A empresa também compartilhou alguns comentários dos funcionários, destacando a importância da vacinação para a segurança dos passageiros e deles próprios. “Todos os funcionários devem estar seguros no local de trabalho. Todos os funcionários se cruzam. Todos nós temos que estar seguros” e “Apoio totalmente a todos que se vacinem para que possamos reabrir as fronteiras nacionais e internacionais”, são dois exemplos de suas opiniões sobre o mandato de vacinação.

A Qantas afirma que “milhares de trabalhadores da aviação que apoiam voos internacionais em Nova Gales do Sul, Austrália do Sul e Nova Zelândia já precisam ser vacinados por essas jurisdições”. E ela também cita que várias companhias aéreas ao redor do mundo também tornaram isso uma exigência.

Algumas semanas atrás, a United anunciou que forçaria seus funcionários e novos contratados a se vacinarem, e outras empresas estão seguindo o exemplo. Embora existam algumas empresas que não pretendem impor a vacinação, espera-se que sugiram ou recomendem aos seus funcionários que sejam vacinados.

O CEO do Qantas Group, Alan Joyce, disse: “Ter uma força de trabalho totalmente vacinada protegerá nosso pessoal contra o vírus, mas também nossos clientes e as comunidades para as quais voamos. Um membro da tripulação pode voar para várias cidades e entrar em contato com milhares de pessoas em um único dia”, acrescentou. “Certificar-se de que eles estão vacinados, dado o potencial de propagação do vírus, é muito importante e acho que é o tipo de liderança de segurança que as pessoas esperam de nós”

O grupo disse que os detalhes da política, incluindo como as isenções médicas serão aplicadas, serão discutidos com os funcionários, seus representantes de saúde, segurança e sindicatos, nas próximas semanas. Em uma pesquisa independente com mais de 1.000 clientes da Qantas, 92% disseram esperar que a tripulação da Qantas fosse totalmente vacinada.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

Boeing 737-300 ex-Transbrasil sai da pista e derrapa até parar na...

0
A aeronave, que estava realizando um voo de carga, ao pousar no aeroporto ultrapassou o limite da pista e foi parar em um gramado.