Qantas fará novamente o voo comercial mais longo do mundo, com mais de 19 horas

A australiana Qantas repetirá o feito do voo comercial mais longo do mundo, mais uma vez atingindo o recorde de mais de 19 horas de voo sem escalas e com passageiros a bordo.

Avião Boeing 787-9 Qantas
Imagem: BriYYZ [CC]

A empresa australiana, que é a terceira mais antiga do mundo e recentemente completou 100 anos de idade, bateu muitos recordes ao longo de sua história, se destacando pelo pioneirismo em suas ações. Para citar três exemplos, foi a primeira empresa aérea global a ter uma frota só de Boeings 747, fez os primeiros voos transpacíficos sem escalas e criou o conceito da classe Executiva.

No final do ano passado, a empresa refez um voo histórico, que tinha completado pela primeira vez em 1989, à época com o seu novíssimo Boeing 747-400ER. Naquele tempo, a rota foi Londres – Sydney sem escalas, algo impensável na época, mas cumprido com facilidade pelo 747, que estava vazio na ocasião. A modificação ER – Extended Range foi desenvolvida especialmente para a Qantas, que sacrificava espaço de carga para instalação de tanques de combustíveis extras, a fim de dar mais autonomia.

Em 2019 a empresa repetiu o feito, mas com o Boeing 787-9 Dreamliner e com passageiros a bordo. A iniciativa foi realizada como parte dos testes do Projeto Sunrise, que pretende realizar este voo para Londres e outros destinos ultra-distantes a partir de Sydney, sem escalas, e com um bom número de passageiros, os quais darão viabilidade à rota.

Sunrise forçado

Mas o projeto chegou a ser suspenso em meio à pandemia e não se sabe quando retorna. No entanto, enquanto isso, a empresa aérea ainda assim fará os voos do Sunrise, mas com outro propósito: repatriação de nacionais australianos.

Segundo o portal Executive Traveller, a empresa fará voos nos próximos dois meses para Londres, Paris e Frankfurt, onde os australianos que ficaram presos no continente europeu irão se reunir para embarcar de volta ao seu país. A novidade é que os voos saindo da Austrália poderão estar a venda pela companhia, que já adiantou que o sistema de entretenimento em voo não estará ligado, recomendando trazer livros. Ela disse também que não será possível bloquear assentos do meio no voo.

Dos voos de repatriação, o mais longo será o Londres – Sydney, que no teste do Projeto Sunrise durou 19 horas e 30 minutos, percorrendo 17.800 km, sendo até hoje o voo comercial com passageiros mais longo já feito.

Vale lembrar que, ainda assim, o “título” de voo regular mais longo segue com a Singapore Airlines, já que a mesma faz um voo um pouco mais curto, porém de maneira regular há anos, veja como é o revezamento dos pilotos neste voo:

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Avião Boeing 777-200ER PIA Pakistan International Airlines AP-BMH

PIA paga R$38 milhões para liberar decolagem de seu Boeing 777...

0
A empresa aérea pagou 1,124 bilhão de rúpias para conseguir a liberação para decolar o Boeing 777-200 de Kuala Lumpur, na Malásia.