Qantas pressiona Airbus e Boeing sobre a aeronave para Sydney-Londres sem escala

A Qantas Airways definiu um prazo final para Airbus e Boeing apresentarem sua “melhor e última oferta” para um avião capaz de voar de Sydney a Londres sem escalas.

Boeing 747-400 da Qantas

A companhia quer que as opções para o voo de 21 horas sejam apresentadas no máximo até agosto. “Esperamos que até o final do ano (…) cheguemos a uma conclusão de uma forma ou de outra”, disse Alan Joyce, presidente-executivo da Qantas, a repórteres durante uma conferência da indústria de aviação em Seul.

A Qantas pretende que os aviões sejam entregues a partir do final de 2022, com os primeiros voos Sydney-Londres estreando em 2023, disse Joyce. A rota seria o voo comercial mais longo do mundo e a Qantas está examinando os modelos A350 e 777X.

A companhia planeja ter quatro classes de serviço no avião, sendo Primeira, Executiva, Econômica Premium e Econômica, além de uma zona para os passageiros da Econômica Premium e da Econômica se esticarem e se hidratarem, disse ele.

A Singapore Airlines, que atualmente faz a rota mais longa do mundo com o Airbus A350ULR de Cingapura a Nova York, tem apenas as classes Executiva e Econômica Premium no voo.

A Qantas também planeja outras rotas com os novos jatos, como Melbourne-Londres, Sydney-Nova York e possivelmente voos da costa leste da Austrália para outras cidades da Europa, costa leste dos EUA e Brasil, disse Joyce.

Informações pelo Euronews.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.