Qatar Airways está pronta para fazer um grande pedido de aeronaves de carga

Avião Boeing 777F Qatar Cargo
Imagem: Boeing

Em declaração recente, o CEO da Qatar Airways, Akbar Al Baker, disse que sua empresa está pronta para colocar um grande pedido de novos aviões cargueiros de próxima geração da Airbus ou Boeing. No caso da Airbus, Al Baker se refere a uma eventual versão de carga do A350 (ainda não anunciada pela fabricante), enquanto que a Boeing competiria com também ainda não existente 777XF.

Segundo o Gulf Business, a declaração de Al Baker foi dada durante o evento online APEX FlightPlan III. Na ocasião, ele disse que a empresa estará pronta para colocar um pedido em um ou dois meses e assim que as fabricantes confirmarem que estão dispostas a desenvolver esses novos modelos de jatos de carga.

Em junho, a Airbus já havia sinalizado que estava perto de aceitar pedidos do A350F, dependendo da receptividade do mercado para o modelo. Tal avião daria à fabricante europeia poder de fogo para concorrer com a Boeing, que domina esse mercado. Por sua vez, a fabricante americana ainda não deu nenhum sinal sobre um futuro 777XF.

Ainda no evento, Al Baker destacou que a Qatar Airways consolidou sua posição como a maior transportadora de carga do mundo entre as operadoras de passageiros, após manter boa parte de suas rotas ativas, mesmo nas piores fases da pandemia. Antes disso, em 2019, a empresa sediada em Doha ficou em segundo lugar em toneladas de quilômetros de carga, atrás apenas da FedEx, e à frente da UPS, Korean Air Lines, Cathay Pacific Airways e Lufthansa, bem da Emirates.

Al Baker disse a Qatar Airways está “realmente faminta por mais cargueiros”, mas não pode obter o atual 777F, que é baseado no modelo 777-200 existente da Boeing, até 2023. A frota cargueira da empresa tem atualmente 26 Boeing 777F.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias