Qatar continuará expansão, mesmo com perdas pelo bloqueio árabe

O CEO da Qatar Airways, Akbar al-Baker, afirmou que o bloqueio por terra, mar e ar, imposto por países árabes como a Arabia Saudita, os Emirados Árabes Unidos e o Bahrain, atingiram a lucratividade da companhia aérea, mas que a crise geopolítica não irá segurar os ambiciosos planos de expansão da Qatar.




O bloqueio obrigou as aeronaves da Qatar a voarem rotas mais longas através dos espaços aéreos da Turquia e do Iran, aumentando os custos com combustível e com a manutenção periódica da frota, mas o valor das perdas só deve ser conhecido por volta do mês de abril.

“Já notamos aumento nos custos de manutenção por estarmos voando rotas mais longas, e temos maior consumo de combustível, então os custos operacionais estão subindo. Já afirmei anteriormente que a Qatar enfrentará perdas neste ano devido ao bloqueio, mas que isso não significa que vamos encolher. Continuaremos expandindo a companhia.”, afirmou al-Baker em uma entrevista na capital australiana Canberra, onde a Qatar acaba de iniciar operações diárias.

O Qatar passou a enfrentar o bloqueio de países vizinhos após acusações de financiar o terrorismo, que foram reforçadas pelo presidente norte-americano Donald Trump. Al-Baker rebate as críticas ao afirmar que “o Sr. Trump já deve ter percebido que estava desinformado, que foi levado pelos países bloqueadores a acreditar equivocadamente que o Qatar é persona non-grata entre os países da região, o que não é o caso. Somos um grande aliado dos Estados Unidos”.

No ano passado a Qatar Airways estreou voos para Dublin, Nice, Praga, Auckland e Chiang Mai (Tailândia). Neste ano a companhia já tem planos para adicionar Cardiff e Malaga em sua malha. Apesar das declarações do CEO, no mês passado a Qatar cancelou seu pedido de voo junto à ANAC para voos ao Rio de Janeiro e Santiago do Chile.

 
Com informações do Telegraph.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.