Qatar irá substituir Airbus A380 pelo Boeing 777X

Logo após surgir a notícia que a Airbus deve anunciar nesta quinta o fim do programa A380, um dos clientes já revelou qual será o plano para substituir o maior avião comercial do mundo: utilizar o maior bimotor já feito.

Boeing 777-9X da Qatar © Boeing

Em entrevista exclusiva concedida a Alex Macheras do AviationAnalyst, o CEO da Qatar, Mr Al Baker, afirmou que “Sobre os A380, iremos aposentá-los no aniversário de 10 anos da empresa. Assim que pagarmos nossa obrigações financeiras, eles irão embora”.

A Qatar Airways foi uma das últimas aéreas a receber o gigante: o primeiro A380-800 da companhia chegou em setembro de 2014 matriculado como A7-APA. De lá para cá, mais nove gigantes se juntaram à frota da empresa.

Será a primeira companhia a se desfazer do A380 em tão pouco tempo: a Emirates e a Singapore Airlines estão retirando algumas unidades mas substituindo por novas. Não é o caso da Qatar, que irá se desfazer do avião assim que o contrato de leasing terminar.

“Nós não vemos oportunidade de venda no mercado secundário (usados). Existem A380 que eram da Singapore Airlines que ninguém quer, e esse ano mais aeronaves estarão disponíveis no mercado por causa da Emirates”, disse o CEO.

A Qatar Airways atualmente voa para Bangkok, Guangzhou, Londres, Paris, Melbourne, Perth e Sydney com o Airbus A380. E as rotas para as três cidades australianas seriam as que sofreriam mais com a saída sem planejamento do gigante.

“O 777X irá substituir o A380 nas rotas para a Austrália. Nós iremos deixar algumas aéreas receberem o Boeing e “limpar todos os bugs” primeiro. Isso significa que seremos um dos clientes-lançadores mas não o cliente-lançador”, afirmou Al Baker.

Os bugs a qual o CEO se refere são os problemas que todas as aeronaves novas têm nos seus primeiros meses de operação. Apesar de todos os aviões serem extensivamente testados por mais de um ano no processo de certificação, é impossível testar todas as condições possíveis a qual a aeronave irá passar.

Todos os aviões novos de última geração passaram por isso, como o Airbus A320neo, o A330neo e o A350, além dos Boeings 737 MAX e 787 Dreamliner. O período normalmente de “amadurecimento” da aeronave dura entre 6 e 24 meses. Nos últimos anos a maioria dos problemas nesta fase estava relacionada à motorização.

A Qatar atualmente possui 100 encomendas do Boeing 777-9X, sendo 50 pedidos firmes e 50 opções de compra. Impulsionado pelo gigante motor GE-9X, o novo 777 pode voar sem escalas por 7,600 milhas náuticas (14,075 km), mais do que suficiente para atender as rotas atuais do A380 para Austrália sem precisar sacrificar peso.

Porém estas rotas não serão operadas 100% pelos novos Boeings: “Assim que a Airbus estender o peso máximo de decolagem (MTOW) do A350-1000, ele conseguirá fazer as rotas do 777X, apesar de uma capacidade de passageiros um pouco menor. A Airbus nos disse que irá fazer esse aumento no MTOW no próximo ano”, conclui Al Baker.

Com informações do jornalista Alex Macheras do AviationAnalyst.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos