Quais os passaportes mais fracos do mundo e que não dão acesso a nada?

Passaportes

Todos os anos, o Henley Passport Index mede o nível de acesso que cada documento de viagem oferece a seus portadores. No entanto, toda a imprensa dá ênfase nos mais poderosos, aqueles que abrem as portas do mundo todo, mas pouco se fala da turma que está na “rabeira” dessa fila, aqueles que precisam da benção do Papa, ou mais que isso, para conseguirem viajar a algum lado.

Enquanto que na parte de cima estão, como de praxe, os passaportes do primeiro mundo, Cingapura, Japão, Alemanha, Coréia do Sul, que se esfrega de ombros com a Finlândia, Itália, Dinamarca e por aí vai; no outro extremo, a situação é totalmente diferente, com países que não garantem a seus cidadãos acesso a quase lugar nenhum, a menos que estejam portando um visto, o que às vezes é bem complicado de conseguir.

O Afeganistão, por exemplo, está mais uma vez no final do ranking, com seus cidadãos precisando de um visto prévio para todos, exceto 25 países, em todo o mundo. Christian Kaelin, presidente da Henley & Partners e criador do conceito de índice de passaporte, diz no comunicado de julho: “com algumas exceções notáveis, os últimos rankings do Índice de Passaporte Henley mostram que os países ao redor do mundo vêem cada vez mais abertura de visto como crucial para o progresso econômico e social”.

Se as palavras do executivo estiverem certas, esses países certamente têm um problema para resolver. Essas restrições impostas por outros países que impedem a imigração sem visto, geralmente estão associadas a riscos de terrorismo, tráfico de drogas e de pessoas, ou então sanções. Há uma variedade de possibilidades.

Os piores passaportes para se ter

Vários países ao redor do mundo têm acesso sem visto a menos de 40 países. Eles são:

  • Líbano, Coréia do Norte (39 destinos)
  • Nepal (38)
  • Líbia, Território da Palestina, Sudão (37)
  • Iêmen (33)
  • Somália, Paquistão (31)
  • Síria (29)
  • Iraque (27)
  • Afeganistão (25)

Quer saber em que lugar está o Brasil?

A lista da Henley & Partner é um dos vários índices criados por empresas financeiras para classificar os passaportes globais de acordo com o acesso que eles fornecem aos seus cidadãos. Nesse ranking, nosso amado Brasil figura na 17a posição, garantindo acesso a 170 países sem visto.

O Henley Passport Index é baseado em dados fornecidos pela Autoridade Internacional de Transporte Aéreo (IATA) e abrange 199 passaportes e 227 destinos de viagem. É atualizado em tempo real ao longo do ano, à medida que as mudanças na política de vistos entram em vigor.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.