Você sabe quantos gigantes Airbus A380 já foram aposentados até agora?

Air France desativou toda sua frota de A380 em 2020.

Em 27 de abril de 2005, o superjumbo Airbus A380 levantava voo pela primeira vez. Sonho que se tornava realidade, um gigante que podia transportar até 800 passageiros e era uma maravilha da indústria aeronáutica, chamando a atenção do mundo.

Hoje, pouco mais de 15 anos depois, os pedidos encalharam e diversas companhias que adquiram a mega novidade estão deixando de voar com o gigante, o que levou a Airbus a anunciar, em fevereiro de 2019, o fim breve da produção comercial.

Na aviação, é raro uma companhia desativar um avião com tão pouco tempo de uso. A maioria nos A380 não tem 10 anos de operação. Mas nesses 15 anos de existência, quantos superjumbos foram definitivamente aposentados pelas companhias?

A Singapore Airlines foi a primeira empresa a aposentar o Airbus A380. O plano de aposentadoria foi anunciado em 2018. No total, cinco de suas 24 aeronaves do modelo já deixaram a frota. Pelo menos duas dessas aeronaves já foram desmontadas. Outra, a de matrícula 9V-SKC, conseguiu uma sobrevida e ganhou o registro 9H-MIP, à serviço da companhia portuguesas Hi-Fly para transporte de carga.

Mas esta última, por sinal, anunciou que também deve tirar o jato de operação em breve, portanto, ele agora deve parar definitivamente.

Imagem: Hi Fly

O DNA francês de fabricação do gigante avião não impediu que a conterrânea Air France se tornasse a companhia que mais desistiu do A380 até o momento. Toda a frota de 10 aeronaves foi desativada logo nos primeiros meses de pandemia. A crise da aviação mundial antecipou em dois anos os planos de readequação do portfolio aeronáutico da empresa, que hoje prefere priorizar bimotores mais eficientes e econômicos.

A Lutfhansa encerrou definitivamente as operações com sete dos 14 A380 que mantinha em sua frota. Os demais permanecem no solo sem prazo certo para voltar a voar. A companhia informou que retomará as viagens com o gigante de dois andares somente após o retorno da demanda aos níveis pré-pandemia, o que pode demorar.

Avião Airbus A380 Lufthansa
Imagem: Melv_L – MACASR / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

A companhia com maior número de A380 em operação no mundo, a Emirates, divulgou, em junho deste ano, que deve retirar de vez dos céus apenas um de seus superjumbos que há muito tempo não transporta passageiros. A aeronave com matrícula A6-EDB, que estava com a companhia dos Emirados Árabes Unidos desde outubro de 2008, não deve mais voltar a voar. Já está totalmente branco, sem identificação da companhia, e foi enviado para o local em que deve ser desmontado.

Avião Airbus A380 Emirates
Imagem: Emirates

Ao todo, as quatro companhias anunciaram a parada definitiva de 23 Airbus A380, dos quais um voltou a voar logo em seguida e dois já se tornaram sucata. Os demais têm futuro incerto.

Sabe-se apenas que a crise causada pela COVID-19 acelerou o inevitável desfecho da história desse gigante dos céus, cujos tempos de glória voaram rápido demais. Porém, Singapore e Emirates já informaram que não pretendem desistir do modelo completamente, de forma que ainda será possível admirar essa maravilha por uns bons anos à frente.

Para ver uma listagem completa de todas as companhias aéreas que operam o maior avião de passageiros do mundo, clique aqui para acessar a matéria que produzimos no início da pandemia, quando os A380 estavam sendo retirados dos céus.

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias