Quarentena obrigatória pode levar companhias aéreas de carga a ficarem sem pilotos

Como o fechamento de fronteiras na Europa à luz da crise do COVID-19, graves restrições de capacidade estão sendo observadas no setor de aviação. No entanto, a legislação, diretrizes e orientações destinadas às operações de voos comerciais de passageiros, não cobre especificamente os voos de carga e suas tripulações.

Embora os esforços para impedir a propagação do vírus sejam essenciais, atualmente muitos cidadãos europeus estão em pânico e comprando as coisas no desespero, às vezes sem necessidade, pois as pessoas temem que a cadeia de suprimentos seja fechada. Portanto, a European Regions Airline Association (ERA) defende que haja esforços para manter a economia em movimento, para reduzir o enorme impacto que o COVID-19 está tendo e terá nas próximas semanas e meses.

Neste momento, alguns estados exigem que, quando um voo de carga retorna de um país de alto risco, mesmo após um tempo mínimo no solo e que a tripulação não saia da aeronave, efetivamente nunca deixando o território o registro da aeronave, estarão agora sujeitos a 14 dias de isolamento obrigatório. Se isso continuar, as companhias aéreas ficarão rapidamente sem tripulação para continuar as operações.

Limonada sem limão

As companhias aéreas de carga estão fazendo todo o possível para manter as cadeias de suprimentos abertas, inclusive para países com bloqueio total ou parcial. As companhias aéreas, porém, estão enfrentando problemas significativos com diferentes atitudes e interpretações de diretrizes e orientações de cada Estado membro da Europa.

Andrew Kelly, Presidente da ERA, diz: “Esta é uma crise de saúde pública e vidas, saúde e segurança devem vir em primeiro lugar. A manutenção da rede de carga apoiará a luta contra o COVID-19 e diluirá significativamente o enorme impacto econômico que todos estamos enfrentando. É absolutamente vital que a cadeia de suprimentos econômica continue funcionando durante toda a crise e isso significa que aeronaves, navios e caminhões de carga devem poder operar, com precauções especiais para proteger as tripulações e o público em geral. 

É necessária uma ação da Comissão Europeia, da EASA e dos governos nacionais para garantir isenção para voos de carga e tripulações de restrições introduzidas exclusivamente para proteger passageiros comerciais”.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias