Início Empresas Aéreas Quase 200 passageiros apresentam exames de Covid idênticos em voo da Rússia...

Quase 200 passageiros apresentam exames de Covid idênticos em voo da Rússia à China

Avião Boeing 767-300 Pegas Fly
Imagem: Anna Zvereva / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

Uma companhia aérea russa precisou cancelar um voo que partiria de Moscou com destino à China depois que quase 200 passageiros forneceram resultados negativos idênticos nos testes do coronavírus, disse a embaixada chinesa em Moscou na última quinta-feira, 26 de novembro.

A Pegas Fly suspendeu seu voo Moscou-Zhengzhou na quarta-feira, quando a embaixada descobriu mais de 190 testes sorológicos “completamente idênticos”, disse a agência de notícias estatal RIA Novosti, citando a embaixada. A China começou a solicitar recentemente para voos de chegada resultados sorológicos negativos, além de testes de ácido nucleico, devido ao recente aumento global de infecções de Covid-19.

“Não há como garantir a veracidade desses testes e, como resultado, os passageiros não puderam receber um ‘código de saúde’ para embarcar no avião”, disse a embaixada chinesa.

Nem a Ikar Airlines, que opera como Pegas Fly, nem a organização que conduziu o teste “puderam fornecer uma explicação razoável para os mesmos resultados de teste”, disse a embaixada chinesa. Ela pediu à companhia aérea para providenciar novos testes e acomodar os passageiros retidos.

Durante o verão, a embaixada chinesa em Moscou alertou que alguns de seus cidadãos estiveram forjando resultados negativos no teste do coronavírus para voltar da Rússia para casa.

A Rússia proibiu temporariamente a entrada de cidadãos chineses em fevereiro para evitar a disseminação da Covid-19 dentro de suas fronteiras. A China espelhou essa medida em novembro, suspendendo a entrada de russos com vistos e autorizações de residência válidos devido ao aumento de infecções em seu vizinho do norte.

Desde então, a Rússia confirmou quase 2,2 milhões de casos de coronavírus, o quarto maior do mundo, com mortes recordes e novas taxas de infecção nas últimas semanas. A China, onde o vírus se originou há um ano, relatou 86.490 casos.

Sair da versão mobile