Que empresas aéreas ainda voam com o Fokker 100?

O Fokker 100 é uma aeronave bimotora de curta distância para pouco mais de 100 passageiros que começou a ser produzida em 1986, mas o conceito foi criado em 1983. No Brasil, voou por muitos anos, nas cores da Taba, TAM, Mais Linhas Aéreas e da Oceanair (Avianca Brasil).

Levantamento do Aviacionline conclui que, na época do desenvolvimento, a holandesa Fokker queria aproveitar o sucesso do Fokker 28 Fellowship e a falta de um jato regional no mundo. O projeto envolveu um grande salto tecnológico e introduziu uma aviônica digital avançada e componentes analógicos foram trocados. O projeto aprimorado da aeronave e dos motores proporcionou maior eficiência em voo e foi considerado muito silencioso para a época e um sucesso por suas características técnicas e baixo consumo.

Primeira aeronave

A primeira aeronave foi concluída em 1º de novembro de 1986, com o registro PH-MKH, e a segunda em 25 de fevereiro de 1987 com o registro PH-MKC. Eles receberam a certificação em 20 de novembro de 1987, e a primeira aeronave foi entregue à Swissair em fevereiro de 1988. A American Airlines fez um pedido de 75 aeronaves, a TAM Transportes Aéreos Regionais por 50 e a US Air por mais 40. O pedido da American Airlines, que ocorreu em março de 1989, foi o maior já feito para o fabricante holandesa, por um valor de 3,1 bilhões de dólares. 

Foto de Olivier CABARET / CC BY via Wikimedia

Infelizmente, aos poucos foi perdendo terreno para as melhorias tecnológicas e aeronaves mais novas, inclusive a família de E-Jets da Embraer. Após vários anos de perdas, em 1996 a Fokker declarou falência, selando o destino do Fokker 100.

Quais ainda voam

Até 1997, foram fabricados 283 aviões, dos quais 91 estão operando atualmente em todo o mundo, a maioria na Austrália e no Irã. As companhias aéreas que operam atualmente são:

Alliance Airlines: 27

É uma companhia aérea australiana nascida em 2002 com foco em destinos de mineração e energia. Além de ser o maior operador do Fokker 100, ela também tem outros 16 Fokker 70 e 5 Fokker 50 em operação. É a maior operadora Fokker do mundo com um total de 47 aeronaves, mas está trocando uma série deles por aviões Embraer E190.

Qantas Link: 17

A segunda operadora do F100 é outra australiana, a companhia aérea regional da Qantas focada em destinos com menor demanda ou cujo aeroporto não é adequado para uma aeronave como o Boeing 737-800 ou similar.

Virgin Australia Regional: 14

É o concorrente direto da Qantas Link, operando sob a órbita da Virgin Australia. Seus principais destinos estão centralizados no estado da Austrália Ocidental, com base na cidade de Perth.

Air Niugini: 7 

É a companhia aérea nacional e principal de Papua Nova Guiné. Tem 7 Fokker 100 voltados para destinos nacionais e regionais.

Iran Aseman Airlines: 7

O Irã é o segundo país com o maior número de Fokker 100, sendo a Iran Aseman a principal operadora e a terceira maior companhia aérea do país. Infelizmente, o aumento no custo de peças sobressalentes de aeronaves fez com que 11 delas fossem retiradas para serem canibalizadas e usadas como fornecedoras de peças para aqueles que atualmente estão em serviço.

Foto de aeroprints.com / CC BY-SA via Wikimedia

Iran Air: 4

A companhia aérea nacional do Irã teve 20 aeronaves do modelo. Eles seriam retirados devido à chegada de novas aeronaves fabricadas pela Airbus, Boeing e ATR em anos anteriores, mas como resultado das sanções internacionais sobre o país, essas entregas foram interrompidas, o que suspendeu a retirada do Fokker 100.

Karun Airlines: 4

Nascido dos remanescentes da Iranian Naft Airlines em 2018, é administrado pelo Ministério do Petróleo iraniano, oferecendo voos regulares para destinos na indústria de petróleo do país.

Qeshm Airlines: 4

Outra companhia aérea iraniana que pretendia substituir o F-100 por A320, mas não conseguiu devido a sanções internacionais.

Carpatair: 3

É uma companhia aérea charter com sede em Timisoara, Romênia. A companhia aérea substituirá a aeronave pelo Embraer ERJ 190 em breve.

Foto de Anna Zvereva / CC BY-SA via Wikimedia

Air Panama: 2

É a única empresa latino-americana que opera o Fokker 100 atualmente. É a segunda companhia aérea panamenha e tem sede no Aeroporto Metropolitano de Albrook, com destinos puramente nacionais voltados para os pontos turísticos do país.

Avanti Air: 2

É uma companhia aérea alemã nascida há 25 anos, seus principais negócios são voos charter corporativos e turísticos.

Governo da Eslováquia: 2

Tudo bem, não é uma empresa aérea, mas merece estar na lista, já que está na lista dos últimos F100 do mundo. Eles são as aeronaves oficiais de transporte das entidades governamentais do governo eslovaco. O F-100 substituiu o Yakovlev Yak-42 em 2016. Além dos Fokkers, eles também possuem dois Airbus 319 VIP.

Kish Airlines: 2

Continuando com as companhias aéreas iranianas, é administrado por um ex-CEO da Iran Air. Grande parte de seu financiamento vem de empresas na paradisíaca ilha de Kish, localizada no Golfo Pérsico.

Skippers Aviation: 2

Com sede em Perth, é uma companhia aérea charter focada na indústria de mineração da Austrália Ocidental, embora tenha alguns destinos regulares.

Jetways Airlines: 1

É uma companhia aérea queniana e a única operadora do modelo na África.

Foto de Aero Icarus / CC BY-SA via Wikimedia

Montenegro Airlines: 1

É a transportadora da bandeira de Montenegro, que fazia parte da ex-Iugoslávia. Em breve será substituído pelo E-195.

Trade Air: 1

É uma companhia aérea croata que combina serviço regular com fretamento turístico.

TUS Air: 1

Em breve, ela mudará o nome para Ela Airways como parte da reestruturação anunciada no verão passado de 2019. Ela está sediada em Larnaca, Chipre.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias