Homem morre após raio atingir a asa de avião A320 durante o táxi

Foto por Konstantin von Wedelstaedt via Wikimedia

Um medo que acomete muitos profissionais das áreas de pátio e pistas dos aeroportos se concretizou nesta semana no Vietnã. No Aeroporto Internacional de Noi Bai, em Hanói, capital do Vietnã, um mecânico de aeronaves morreu enquanto trabalhava após ser atingido por um raio.

Segundo a agência de notícias vietnamita VN Express, a tragédia ocorreu às 18h05 da terça-feira, 22 de setembro, horário local. Um raio atingiu a asa direita de um Airbus A321neo da Vietnam Airlines que taxiava após deixar o gate e se preparava para decolar. O técnico, que não teve o nome divulgado, inspecionava a aeronave no momento da descarga.

O homem tinha 40 anos de idade e pertencia à empresa Vietnam Airlines Engineering Company (VECO), subsidiária da Vietnam Airlines, e que também atende a grandes companhias aéreas que operam no país, como Qatar, Air China e Korean Air, entre outras. A vitima chegou a ser socorrida, mas morreu a caminho do hospital.

Em entrevista a imprensa local, o diretor Trần Hoài Phương, da Autoridade de Aeroportos do Norte, empresa estatal responsável pela administração do terminal, disse que o acidente “foi um caso muito triste e raro”. Essa foi a primeira vez que um profissional foi morto por um raio no aeroporto. Phương informou que o local tem um sistema de proteção padrão contra raios e que todo o equipamento do aeroporto é verificado regularmente para garantir a segurança.

O portal Aerotime Hub lembra que incidentes relacionados a raios são comuns no Vietnã, sobretudo no período das monções, chuvas torrenciais que atingem a região. Em 2016, um raio atingiu uma pista do Aeroporto Internacional Tan Son Nhat (SGN), deixando um buraco de 60 centímetros de largura, o que causou a reprogramação de pelo menos 100 voos.

No passado, uma câmera flagrou o momento exato em que um mecânico é atingido um por raio na Índia, em uma situação muito semelhante a ocorrida nesta semana no Vietnã. Confira aqui.

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias