Raro Boeing 747 que viria ao Brasil tem pane de motor e fica no Paquistão

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Um raro e clássico Boeing 747-200, que estava previsto para vir para o Brasil nesta semana, acabou tendo um imprevisto com um dos seus motores e ficou no Paquistão.

Boeing 747-222B(SF) | Aerostan | EX-47001

O jato de matrícula EX-47001, um dos únicos 20 Boeings 747-200 ativos no mundo atualmente, pertence à empresa aérea cargueira Aerostan, cuja sede fica no Quirguistão. Trata-se de uma aeronave que ostenta uma pintura com as linhas vermelhas da sua antiga operadora, a Kalitta Air, como se vê na foto acima.

Nessa semana, havia uma previsão de que ele viesse a Recife, onde faria uma escala técnica de reabastecimento – a carga e o contratante não foram revelados.

Desta forma, o Jumbo decolou na terça-feira (26) de Karachi, no Paquistão, para o Cairo, no Egito, de onde seguiria para o Aeroporto Guararapes, em Recife, e de onde decolaria ao seu destino final (ainda não consta da ANAC a perna final do voo, portanto o destino é desconhecido por enquanto).

No entanto, logo depois de decolar do Paquistão, segundo o The Aviation Herald, a tripulação reportou ao controle de tráfego aéreo que o motor de número 4 (motor externo da asa direita) tinha entrado em estol e que eles tiveram que desligá-lo.

Esse tipo de situação é causada pelo estol dos compressores do motor que, por sua vez, pode ser causado por ingestão de objetos como pássaros ou qualquer coisa que perturbe a entrada de ar padrão do motor a jato, dentre outros problemas.

Playback da decolagem e retorno para Karachi – FlightRadar24

Sem um dos motores, a tripulação fez uma volta para queimar combustível, além de utilizar o recurso de alijamento, que é quando o querosene do jato é jogado para fora, a fim de reduzir o peso para o aceitável e assegurar que a aeronave pouse dentro do que estipula o seu manual para o “peso máximo de pouso”.

O Jumbo então pousou em segurança 55 minutos após ter decolado de Karachi. Desde então ele se encontra em solo paquistanês, sem previsão de saída. A última estimativa para a passagem por Recife era para a madrugada de sexta para sábado (30), mas não está confirmado.

Segundo a ANAC, o 747-200 tinha autorização de sobrevoo válida do dia 15 até o último dia 24, e a empresa operadora não solicitou uma nova até o momento.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias