Início Indústria Aeronáutica Reimaginando o futuro dos voos por meio de plataformas digitais – por...

Reimaginando o futuro dos voos por meio de plataformas digitais – por David Ziegler

anonymous pilots in aircraft cockpit flying over sea
Foto de Kelly Lacy via Pexels.com

O texto a seguir é de autoria de David Ziegler, Vice-Presidente de Indústria Aeroespacial e Defesa da Dassault Systèmes, que gentilmente compartilhou conosco sua visão de futuro.

Os inovadores do segmento aeroespacial estão reimaginando o futuro dos voos além dos programas tradicionais de aeronaves. No entanto, está se tornando cada vez mais desafiador para fornecedores e fabricantes oferecerem novas formas de transportes seguros e sustentáveis ​​e experiências de mobilidade. Somente as plataformas digitais oferecem novas maneiras de conceituar, projetar, fabricar, testar, certificar e sustentar para acelerar os negócios, tornando-os mais competitivos. 

“Embora a pandemia de COVID-19 tenha gerado uma queda no tráfego aéreo em 2020 e o cancelamento do Show Aéreo de Paris (Paris Air Show) em 2021, os inovadores do segmento aeroespaciais e de defesa continuaram a reimaginar o futuro do voo além dos programas tradicionais de aeronaves, com avanços em aeronaves supersônicas, veículos de decolagem e pouso verticais elétricos, drones e exploração espacial no setor privado. 

“No entanto, à medida que os inovadores em todo o segmento procuram oferecer novas experiências, está se tornando cada vez mais desafiador para os fabricantes e fornecedores de equipamentos originais competir. As expectativas do cliente quanto a custos mais baixos, padrões mais elevados e maiores recursos estão aumentando. Os sistemas aeroespaciais estão se tornando mais complexos para projetar, construir e entregar nos mercados globais e regionais. 

“Em três setores em particular – cadeia de suprimentos, espaço e defesa – é necessário acelerar a inovação, aumentar a eficiência e permitir maior agilidade na velocidade da produção. Somente as plataformas digitais oferecem às empresas novas maneiras de conceituar, projetar, fabricar, testar, certificar e manter novos veículos, acelerar os negócios e se tornar mais competitivas. 

“As peças e conteúdos criados pelos fornecedores agora representam entre 50% e 60% do valor de um sistema aeroespacial. As pressões implacáveis ​​sobre os preços estão obrigando os fabricantes e fornecedores de aeronaves a reinventar a forma como trabalham com a cadeia de suprimentos. Diferentemente, os fabricantes de aeronaves que não conseguem encontrar fornecedores fortes podem procurar adquirir e “internalizar” fornecedores de alto valor agregado. 

As plataformas digitais fornecem um ambiente único que aumenta a transparência e aprimora a colaboração entre organizações e locais garantindo acesso total ao conhecimento, know-how, habilidades e talentos, e permitindo a colaboração em tempo real entre indivíduos, grupos ou organizações. A cadeia de suprimentos aeroespacial pode se transformar de uma cadeia de suprimentos de silos linear para uma rede de valor para melhorar a visibilidade, a entrega no prazo e a qualidade certa logo de primeira. 

No segmento de defesa, países em todo o mundo têm investido significativamente no desenvolvimento de tecnologia de próxima geração para mitigar as ameaças em evolução. No entanto, eles devem encontrar o equilíbrio correto entre investir nessas tecnologias e manter seu suporte a ativos mais antigos – mas ainda vitais – que estão em serviço. 

“Com modelos e processos sólidos incorporados em uma fonte confiável, segura e sustentável em todo o ciclo de vida do sistema, as plataformas digitais fornecem uma estrutura para modelar cada aspecto de uma missão e complexidades dos sistemas. As empresas de defesa podem tomar decisões mais rápidas e precisas, integrar o planejamento da missão e alcançar o desenvolvimento de capacidade ágil e a sustentação inteligente. 

A indústria espacial não é mais competência exclusiva das agências governamentais. As empresas do setor privado são disruptivas nos segmentos de exploração espacial e de satélites. Elas estão correndo para produzir satélites cada vez mais sofisticados e lançadores reutilizáveis, já que o número de satélites operacionais orbitando a Terra pode aumentar para várias dezenas de milhares nos próximos 30 anos. 

As plataformas digitais integram tecnologia, processos e pessoas em todo o ciclo de vida de desenvolvimento do produto para elaborar sistemas avançados, complexos, capazes e competitivos que sejam os primeiros no mercado. As empresas do chamado “New Space” podem reduzir o tempo de desenvolvimento de tecnologias de foguetes e satélites e obter a qualidade certa logo de primeira. 

Os fornecedores estão passando por uma mudança para competir de forma rápida e eficaz em um mercado em transformação, impulsionado por um ritmo implacável de inovação. As plataformas digitais permitem que eles quebrem os silos, acelerem a maturidade do programa, conduzam uma produção flexível e criem novas oportunidades de negócios para fornecer novas experiências que impulsionem ainda mais o setor rumo a novas conquistas. 

Sair da versão mobile