Richard Branson oferece sua ilha no caribe para evitar que a Virgin Atlantic quebre

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

A situação econômica das empresas aéreas Virgin Atlantic e Virgin Australia está péssima depois que ambas foram severamente afetadas pela pandemia do novo coronavírus. Agora, o fundador e bilionário Richard Branson disse que vai fazer a parte dele, dando até uma ilha como garantia para obter um empréstimo do governo.

Nesta segunda-feira (20), Branson falou sobre a grave incerteza sobre quanto tempo os aviões terão de permanecer parados em terra. Em uma carta aberta aos funcionários, ele disse que a sobrevivência da Virgin Atlantic e da Virgin Australia é importante para proporcionar a concorrência tão necessária à British Airways e à Qantas.

Inicialmente, a Virgin Atlantic buscará um empréstimo comercial do governo do Reino Unido, que será pago, acrescentou Branson, sem fornecer detalhes de quanto dinheiro precisa. “A realidade desta crise sem precedentes é que muitas companhias aéreas em todo o mundo precisam de apoio do governo e muitas já o receberam. Sem ela, não haverá competição e centenas de milhares de empregos a mais serão perdidos, juntamente com conectividade e enorme valor econômico”, afirmou.

Branson já investiu US$ 250 milhões em empresas do Virgin Group em resposta à pandemia e disse que ofereceria sua propriedade de Necker Island, no Caribe, como garantia “para levantar o máximo de dinheiro possível para salvar o maior número possível de empregos ao redor do grupo”.

Enquanto as companhias aéreas dos EUA receberão dezenas de bilhões de dólares em apoio como parte do pacote de estímulo de US$ 2 trilhões do país, os governos na Europa não prometeram resgates maciços para suas transportadoras. Em vez disso, as companhias aéreas estão recorrendo ao apoio do governo para pagar os salários dos funcionários e aumentar as dívidas.

A Necker Island – Foto de giggel / CC BY via Wikimedia Commons

A British Airways e a Virgin Atlantic deram licenças a cerca de 38.000 funcionários e contam com o governo para pagar 80% do salário desse pessoal.

Sobre a oferta da ilha, segundo o Telegraph, Branson foi criticado por procurar ajuda do governo já que não paga imposto de renda no Reino Unido já que sua residência principal é em Necker Island, que ele comprou quando tinha 29 anos.

Ele abordou essas críticas em sua carta, dizendo que ele e sua esposa Joan “não deixaram a Grã-Bretanha por razões fiscais, mas por amor pelas belas Ilhas Virgens Britânicas e, em particular, pela Ilha Necker”. As empresas do Virgin Group pagam todos os impostos no Reino Unido, disse ele.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias