Rolls Royce desembolsará R$1 bilhão para consertar 400 motores do 787

Na última quarta-feira, a fabricante britânica de motores Rolls Royce anunciou que irá gastar mais de $300 milhões de dólares para fazer reparos nos motores Trent 1000 que equipam o Boeing 787 Dreamliner.




O problema afeta incríveis 220 aeronaves e seus respectivos 440 motores. Um número muito maior que o estimado por especialistas da área, conforme publicamos na semana passada quando a LATAM divulgou nos informou com exclusividade seu plano de contigência para suprir as suas aeronaves afetadas.

Espera-se que os motores sejam examinados e avaliados regularmente, e depois substituídos por novos motores quando disponíveis em um processo que levará quatro anos. O problema está localizado nas blades (lâminas) do rotor principal, do compressor intermediário e de alta pressão. Não se sabe exatamente quantas aeronaves estão paradas devido a este problema.

O gasto total será de $315 milhões de dólares, em torno de R$1 bilhão e 25 milhões de reais em cifras atuais. Uma partes destes recursos vai como compensação para as companhias aéreas e os lessors (empresas que alugam as aeronaves para as aéreas) que foram prejudicados pelo erro da Rolls Royce. Dentre as companhias afetadas estão a All Nippon Airways (ANA), Air New Zealand, Norwegian Air Shuttle, Thai Airways, Virgin Atlantic, Air China, Avianca Holdings e LATAM Chile.

A Norwegian é a mais afetada, com 42 aeronaves, sendo que o Dreamliner é a única aeronave de longo curso da companhia, e deve ser substituído por outro modelo ainda não definido. A Air New Zealand, por sua vez, está com dois 787 fora de operação e está utilizando o 777 para substituir o Dreamliner.

Problemas da Rolls Royce não acabam por aí

A Airbus não pode cantar vantagem neste caso, já que o seu A380 foi afetado por erros da Rolls Royce. O motor Trent 900 enfrenta problemas, e tanto agência americana FAA quanto a européia EASA emitiram resolução de segurança sobre os motores. Até agora a companhia deve desembolsar $1.2 bilhão de dólares (R$3.9 bilhões) para consertar os motores do gigante dos ares.

Com informações do portal AirlineGeeks.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos