Início Aviação Militar Rússia está trabalhando em dois novos aviões do “Juízo Final”

Rússia está trabalhando em dois novos aviões do “Juízo Final”

As Forças Aeroespaciais Russas irão receber dois novos Postos de Comando Aerotransportados baseados na plataforma de voo do Ilyushin Il-96-400M. Esses jatos substituirão o atual Il-86 intitulado de ‘Doomsday Aircraft’ ou ‘Aeronave do Juízo Final’.

Il-86 da Força Aérea Russa – Imagem: Kirill Naumenko, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

A ideia não é nova, já que no ano passado fontes jornalísticas russas informaram que a substituição do Il-86 estava na lista de “tarefas a serem realizadas”, como parte do esforço de modernização das Forças Armadas. Esses postos de comando aerotransportados foram apelidados de “Aviões do Juízo Final” nos Estados Unidos, pois são projetados para uso em caso de uma guerra nuclear ou um grande desastre que destrua a infraestrutura de comando baseada em terra.

Segundo nosso parceiro Aviacionline, já foi iniciada a preparação dos novos aviões. “As Forças Aeroespaciais Russas receberão dois postos de comando aéreo baseados no Il-96-400M. Um está em produção”, disse uma fonte do setor, que também disse ser possível que uma terceira unidade tipo seja encomendada no futuro, uma vez que existem 4 Il-86VKPs atualmente cumprindo essas funções.

Os aviões do Juízo Final foram projetados para evacuar os principais líderes do país e comandar as tropas, especialmente de forças nucleares estratégicas, em caso de destruição da infraestrutura terrestre e de satélite.

A autonomia de voo do novo Il-96-400M será o dobro de seu antecessor, o Il-86VKP. Como os sistemas de comando anteriores, o Il-96-400M poderá ser reabastecido no ar, terá os mais modernos e poderosos sistemas de autodefesa (além de estar sempre escoltado por caças) e virá integrado com uma comunicação poderosa que permitirá receber informações de todos os tipos e fontes e direcionar as operações dos exércitos em terra, da Força Aérea e da Aviação Estratégica, bem como dar ordens aos silos fixos e móveis de mísseis balísticos, inclusive os nucleares, e a força submarina.

Leia mais:

Sair da versão mobile