Ryanair estabelece data limite para conversas com Boeing sobre o 737 MAX

A Ryanair, que já possui encomendados 210 Boeing 737 MAX, estabeleceu junto à Fabricante americana que 18/19 de maio é a data limite para fechar um novo acordo, segundo declaração de seu CEO Michael O’Leary.

Boeing 737 MAX 200 nas cores da Ryanair.

Em declaração à Reuters, O’Leary disse que as discussões com a Boeing estão em estágio avançado, e o foco das conversas é o recebimento das aeronaves já adquiridas e a possibilidade de novas encomendas. “Preço é parte da discussão, cancelamentos também são discutidos”, acrescentou.

Em fevereiro, a Ryanair declarou ter feito uma oferta de encomenda para o MAX 10, com capacidade para 230 passageiros, maior em comparação aos 197 lugares do MAX 200 já encomendado. (Nota: MAX 200 é uma versão especial de alta densidade de assentos feita a pedido da Ryanair).

Mas, há mais de um ano o modelo permanece proibido de operar em consequência dos problemas técnicos que levaram a acidentes fatais com duas aeronaves do modelo, o que vem gerando enorme atraso e constantes adiamentos nas entregas do novo avião.

A Empresa Aérea, segundo a BBC, se prepara para fazer cortes de até 3.000 postos de trabalho, número que representa 15% de seu efetivo atual, de modo a se reestruturar para enfrentar a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Ainda na BBC, O´Leary disse que a Companhia precisará de seis meses para conseguir reembolsar os passageiros que tiveram voos cancelados por conta da pandemia.

“Estamos frente à realidade de que transportaremos muito menos passageiros nos próximos 12 meses e que, nos próximos 2 a 4 anos, transportaremos mais, porém, a preços bem mais baixos de passagens, o que refletirá na necessidade de aeronaves com custo operacional menor”, comentou O’Leary.

O CEO acredita que o 737 MAX retornará aos voos entre julho ou agosto deste ano, e espera que a Ryanair receba as primeiras unidades do modelo ainda no verão no hemisfério norte (junho a setembro).

“Estou bastante otimista em termos alguns MAX no próximo verão, só não tenho certeza se serão 30 ou 10 unidades”, declarou O’Leary à Reuters.

O’Leary ainda disse que a captação de US $ 25 bilhões pela Boeing em uma oferta de títulos na quinta-feira “remove qualquer dúvida sobre a capacidade de sobrevivência da Boeing”.

A Ryanair, com sede em Dublin na Irlanda, transporta atualmente, segundo o Independent, 1.700 passageiros por dia em operações principalmente regionais.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Rodnei Diniz
Engenheiro aeronáutico e mecânico, atuante em gestão de manutenção aeronáutica, aviação geral, executiva e comercial. Atento aos detalhes, gosta de ler e escrever sobre a história da aviação.

Veja outras histórias

Comissária de bordo perde emprego após relacionamento abusivo com mendigo

0
A comissária de bordo Sarah Kershaw tinha uma carreira ilibada de 20 anos como comissária de bordo numa grande empresa aérea do Reino Unido.