Ryanair é investigada após fazer comercial incentivando viagem de vacinados

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A companhia aérea de baixo-custo mais polêmica do mundo, a Ryanair, está sendo investigada após uma campanha publicitária em que incentiva a viagem de pessoas que já tomaram vacina.

A peça publicitária, que está disponível no vídeo abaixo (espere carregar), foi feita no formato de trailer de filme, que tem a vacina contra o coronavírus como estrela, e que seria um sucesso no próximo verão europeu (que começa em meados de junho).

Na campanha, o passageiro é incentivado a comprar passagens agora para poder viajar no meio do ano após ter recebido a vacina, como sendo algo seguro para aproveitar as praias do Mediterrâneo e outros destinos populares do público europeu.

No entanto, isso não agradou a uma parte da população, que denunciou o caso à ASA – Advertising Standards Authority, que é a Autoridade de Padrões de Propaganda do Reino Unido, similar ao CONAR brasileiro.

Apesar de não dar detalhes, a ASA afirmou que está investigando o caso, para apurar se a peça publicitária viola os códigos regulatórios britânicos.

A polêmica seria em torno que até o verão nem todas as pessoas estariam vacinadas (ao menos tomado a segunda dose), e que não existem garantias de que, após a vacinação ser completa, todas as fronteiras da Europa serão reabertas de maneira plena.

A Ryanair, por sua vez, não comentou mais nada sobre o assunto, mas fez uma publicação em suas redes sociais em que ironizou a demora da Irlanda, seu país natal, na aplicação da vacina contra o coronavírus.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Lufthansa fará voos de bate e volta só para passageiros tomarem...

0
Decolar, voar por pouco mais de três horas, tomar a vacina e voltar para a casa. Esta é a proposta inédita da Lufthansa, no turismo de saúde.