Ryanair se mete em uma nova briga

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

A Ryanair emitiu um comunicado formal ao principal órgão antitruste da Europa alegando que vai recorrer aos tribunais para impedir os países de “doar bilhões de euros para suas ineficientes transportadoras de bandeira”.

Segundo um relatório da EuropaPress, Michael O’Leary, CEO da Ryanair, assinou uma carta à Comissária de Assuntos Concorrenciais Margrethe Vestager, dizendo que a UE seria “forçada a uma reviravolta embaraçosa” nos auxílios estatais se a Ryanair vencesse uma contestação legal. 

Ele alega que os programas nacionais devem ser modificados para que a Ryanair possa obter uma parcela dos pacotes de resgate, garantindo que garantias de empréstimos e outras vantagens estejam disponíveis para “todas as companhias aéreas da UE na proporção da sua parcela de tráfego em um país específico”, disse O’Leary.

A carta da Ryanair gerou preocupação e ameaça desacelerar os esforços dos governos para liberar bilhões de euros em ajuda às companhias aéreas da região. Apesar de falar de maneira genérica, O’Leary tem se mostrado especialmente resistente aos acordos de França e Holanda para injetar dinheiro na Air France-KLM, assim como a Alemanha na Lufthansa. Ele não comentou, mas vale citar que a Itália, um importante mercado para a Ryanair, deve assumir a Alitalia falida.

A companhia aérea irlandesa disse em comunicado que está “em contato com a Comissão Europeia para garantir que permaneça vigilante e bloqueie quaisquer medidas de ajuda que favoreçam as companhias aéreas nacionais”. O’Leary diz que tal decisão vai afetar fortemente a concorrência na região de maneira injusta, já que facilita o acesso a recursos pelos concorrentes, coisa que sua empresa não teria segundo as regras atuais.

Finalizando, a Ryanair argumenta que os programas de resgate propostos de vários países discriminam as companhias aéreas que não possuem licença local. Como exemplo, ela cita que voa mais rotas do que a Air France-KLM da França para destinos na Europa e na África.

É, embora polêmico e muitas vezes intransigente, parece que o Sr. O’Leary tem toda a razão no seu pleito dessa vez.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Avião Airbus A320 LATAM

LATAM Peru tem data para retomar voos para o Brasil

0
Com o passar da Pandemia do Coronavírus, a subsidiária peruana da LATAM já programa a volta dos voos internacionais pelo continente.