Salas Vip da American Airlines viram fábricas de máscaras de proteção nos EUA

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Avião Boeing 777 American Airlines

Enquanto o mundo lida com a pandemia de coronavírus (covid-19), a American Airlines anunciou recentemente que fornecerá máscaras para os membros de sua equipe que trabalham em locais onde o distanciamento social nem sempre é possível. Muitos desses membros da equipe atendem aos clientes nas linhas de frente da operação – no aeroporto e no ar.

Os membros da equipe da American queriam entrar em cena e trabalhar criando opções que poderiam ser usadas imediatamente. Então, por exemplo, no Aeroporto Internacional de Miami, Suzanne Peters, gerente sênior da Premium Guest Services, e seus colegas de equipe arregaçaram as mangas, sem hesitar.

Produção na Sala Vip

Apesar de não terem experiência em costura, os representantes da área de serviços ao cliente que atuam na Sala Vip se viram em uma vídeo-chamada FaceTime com a mãe de um membro da equipe. Ela estava dando um curso intensivo de costura. “Temos uma equipe inteira de executores”, disse Suzanne, brincando.

Antes que eles percebessem, a equipe havia formado uma linha de produção. Eles estavam cortando material, arrumando-o em tábuas de passar roupa e costurando-o em máquinas de costura. Não demorou muito para que voluntários de todos os grupos de trabalho viessem apoiar a missão de confeccionar máscaras faciais.

“Sinto alegria por poder fazer algo assim para meus colegas de trabalho”, disse Gislaine Berrios, representante da Guest Service Premium, que só aprendeu a costurar alguns dias atrás. “Temos que fazer o nosso melhor durante esses tempos de incerteza e esta é a minha maneira de retribuir”.

Na equipe de Suzanne, montada em um Admirals Club, Mercedes Haughton, gerente de carga de MIA, tentava descobrir o que ela poderia fazer para proteger sua equipe na instalação de carga da American no outro lado do aeroporto. Mercedes transformou seu escritório em uma tenda de costura, com tiras coloridas de roupas que ela cortou para fazer máscaras. Nasceu a segunda linha de produção de máscaras faciais em Miami.

“Ela me fez sentar com ela – a um metro e meio dela – e me fez uma máscara totalmente nova”, disse Damaris Torres, gerente regional de operações de carga da MIA.

Fabricação em Miami – Imagem: American Airlines

Coincidentemente, no Aeroporto Internacional de Dallas Fort Worth, os membros da equipe iniciaram uma produção semelhante com duas máquinas. Diana Henao e Tammy Spence, ambas gerentes de atendimento ao cliente, começaram a trabalhar e a notícia se espalhou rapidamente.

“Tivemos uma resposta enorme de nossa equipe, disposta a costurar, cortar ou ser voluntária para ajudar de qualquer forma, ajudando-nos a fazer isso até que as novas máscaras cheguem”, disse Diana. “Isso animou a todos, que viram os membros de nossa equipe se ajudando”.

Para os membros da equipe da Net Shop, nas instalações da American Base Maintenance em Tulsa, Oklahoma, a criação de máscaras faciais quase ocorre naturalmente. Esses membros consertam interiores de aeronaves, incluindo itens como redes e cortinas. Debbie Mincey, uma Mecânica de Suporte, já estava costurando máscaras em casa e doando-as para o pessoal médico. Logo, ela convocou seus colegas para se envolverem. “Eu queria ajudar e tenho a capacidade de fazê-lo. É uma maneira de eu contribuir pessoalmente”, disse Debbie.

Outros aeroportos e bases da American

Os membros da equipe dos aeroportos Internacionais de Boston, Chicago, Filadélfia, Richmond, Washington Dulles e do aeroporto nacional Reagan também colocaram esforços de criação de máscaras para as equipes. No aeroporto de Frankfurt, a agente líder Monica Bascon está fazendo máscaras para os profissionais de saúde em sua comunidade.

“Quando comecei a ver que havia uma alta demanda por máscaras através das notícias e mídias sociais, decidi reunir minhas habilidades e tecidos para ajudar”, disse Monica. “Muitos de nossos cuidadores estão trabalhando incrivelmente e colocando suas vidas em risco. Eu pensei que era o mínimo que eu poderia fazer.

Equipe de Dallas

De volta à Miami, Suzanne está emocionada como o esforço de sua equipe que se espalhou. Embora ela tenha apenas um ano na American Airlines, ela acredita que esse esforço de grupo define sua experiência na empresa. “A colaboração e o trabalho em equipe, o espírito de ajudar – é disso que se fala aqui em Miami o tempo todo”, disse Suzanne.

Juan Carlos Liscano, vice-presidente do hub Miami da American, ficou feliz com o que a equipe fez para cuidar um do outro. “Me deixa tão orgulhoso que eles tenham transformado uma ideia simples em ação, mantendo seus colegas saudáveis”, disse Juan Carlos.

Em toda a rede, mais de 1.300 máscaras faciais foram costuradas pela equipe da American Airlines em apenas sete dias – um trabalho de amor diante de tempos incertos.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Mais um grande avião Antonov 124 vem ao Brasil na tarde...

0
Mais um aeroporto brasileiro receberá a visita de um dos poucos exemplares existentes do segundo maior avião cargueiro do mundo.