São Carlos, no interior paulista, receberá voos diretos de Santiago e Bogotá

Na próxima segunda-feira (2), a Latam Airlines terá dois voos partindo de suas bases em Santiago e Bogotá, diretamente para o interior paulista. As operações, que passaram a constar do registro de voos da ANAC, têm por finalidade o traslado de aeronaves até o centro de manutenção da companhia aérea, localizado em São Carlos.

Os voos têm a seguinte programação:

CHILE – O voo que chega do Chile tem o número LAN-9950 e pouso previsto para 11h35. Será operado por um Airbus A320.

COLÔMBIA – O que vem de Bogotá será o ARE-9961 com chegada para 11h00. Será realizado por um Airbus A319.

Recentemente, a Latam também retomou o processo de retrofit de aeronaves em São Carlos. Até setembro de 2022, 30 aeronaves Airbus A320 e A321 da LATAM Brasil, e outras 44 de mesmo modelo pertencentes às frotas das demais empresas do Grupo passarão pelo processo de reconfiguração interna. Além disso, outros tipos de manutenção recorrentes também são realizados na frota.

Internacionalização

Em novembro de 2018, após dez anos de tentativas por parte da Tam/Latam, o governo finalmente aprovou o alfandegamento do Aeroporto Internacional Dr. Mario Pereira Lopes, em São Carlos (SP).

A internacionalização passou a permitir pousos e decolagens de aeronaves estrangeiras que passam por revisões em seu MRO (Maintenance, Repair and Overhaul, ou Manutenção, Reparo e Revisão, em português). Dessa forma, as aeronaves de outras unidades do grupo não precisariam mais passar por outros aeroportos brasileiros antes de voarem para São Carlos, economizando tempo e dinheiro (estima-se uma redução de custos de 9%).

O alfandegamento é válido até 10 de janeiro de 2048 e veta pousos e decolagens de outras aeronaves estrangeiras, tanto da aviação geral quanto comerciais, sendo vetado o transporte internacional de passageiros e carga. Dessa forma, ele serve especialmente para dar apoio às operações do MRO da LATAM, que conta com grande estrutura e cerca de 1.500 funcionários.

Para operar os voos internacionais, a companhia precisa fazer um agendamento prévio com quatro órgãos federais: Ministério da Agricultura, por intermédio do VIGIAGRO (Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional), ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Receita Federal do Brasil e a Polícia Federal.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Avianca se despede dos A330 e confia ao 787 Dreamliner seus...

0
A Avianca anunciou que o Boeing 787-8 Dreamliner será a única aeronave widebody (de corpo largo) que a companhia aérea usará em seus