Se quiser voar nessas 5 companhias aéreas, você deverá ter um passaporte de saúde

Em mais um sinal dos tempos pandêmicos nos quais o mundo vive, cinco grandes companhias aéreas, de várias partes do mundo, anunciam que estão aderindo aos novos “passaportes” digitais de saúde para facilitar as viagens na era do coronavírus. Mesmo que o mundo seja vacinado, a medida deve durar por um bom tempo – quiçá, para sempre.

Com isso, United Airlines, Lufthansa, Virgin Atlantic, Swiss Air Lines e JetBlue se inscreveram no esquema do CommonPass, que foi criado pela fundação suíça sem fins lucrativos The Commons Project em colaboração com o Fórum Econômico Mundial.

Padronização

Segundo uma matéria do Business Insider, a ideia por trás do CommonPass é permitir que os viajantes carreguem com segurança o resultado do teste Covid-19 em um formato padronizado que é imediatamente reconhecível pelos oficiais de fronteira do país em que estão entrando.

“Sem a capacidade de confiar nos testes da Covid-19 – e, eventualmente, nos registros da vacina – além das fronteiras internacionais, muitos países se sentirão obrigados a manter a proibição total de viagens e quarentenas obrigatórias enquanto a pandemia persistir”, disse o Dr. Bradley Perkins, diretor médico do The Commons Project. “Com dados de saúde individuais confiáveis, os países podem implementar requisitos de triagem de saúde mais diferenciados para a entrada.”, concluiu.

Expansão no turismo

As companhias aéreas participantes indicaram que será um componente-chave para restaurar a confiança do cliente e viagens aéreas seguras, juntamente com testes confiáveis. Em paralelo, cadeias de hotéis e companhias de navegação também estão em análise sobre como podem usar o CommonPass, de acordo com Paul Meyer, executivo-chefe do The Commons Project, em relato ao Financial Times.

A longo prazo, o plano é usar também o passe como comprovante de vacinação, quando necessário.

Além da iniciativa do Common Pass, outras empresas também já sinalizaram que a obrigatoriedade da comprovação de vacinação será parte do “novo normal”. Um exemplo é o da australiana Qantas, que gerou grande polêmica ao anunciar que deverá permitir apenas que pessoas vacinadas embarquem em voos internacionais.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Boeing COmpany Prédio Administrativo

No valor de $1,6 bi, Boeing manterá suporte a plataformas nucleares...

0
A Boeing anuncia que continuará mantendo o sistema de orientação do míssil balístico intercontinental Minuteman III (ICBM).