Sem acordo com governo, Lufthansa pode recorrer à proteção judicial

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Diante de dificuldades em acertar os termos para um acordo de financiamento com o governo da Alemanha, o Grupo Lufthansa, um dos maiores do mundo, já considera recorrer à proteção judicial.

Segundo informações da Bloomberg, pessoas familiarizadas com as negociações afirmam que a Lufthansa já começou a pensar sobre seu último recurso para sobreviver à crise, a proteção judicial.

O mecanismo é chamado na Alemanha de Schutzschirm, algo como “escudo de proteção”, no qual a empresa passa a ter um período de três meses sob processo supervisionado de não cobrança de dívida por parte de credores.

Esse avanço da situação do grupo aéreo para a crítica instância judicial pode ocorrer depois que seu CEO, Carsten Spohr, afirmou ao Die Zeit que o Governo alemão estaria querendo uma influência grande demais no controle da Lufthansa no possível acordo de 8 bilhões de Euros.

Carsten considera que a participação estatal nas decisões da companhia pode fazer com que os Governos dos demais países que possuem subsidiárias do grupo Lufthansa, como Áustria e Bélgica, por exemplo, também queiram seguir o mesmo caminho, e isso tornaria a empresa impossível de se gerenciar de forma competitiva.

Segundo o Business Insider, fontes da empresa haviam dito ontem (27) que Berlim ajudaria a companhia aérea em troca de um ou dois mandatos do conselho de supervisão, e o mercado financeiro reagiu à boa notícia na manhã dessa terça-feira, com as ações da empresa na bolsa de valores subindo forte.

Mas os representantes do governo e da companhia aérea teriam concordado com esses pontos sem a participação direta do CEO nas discussões, levando ao retrocesso do acordo ao longo dessa manhã.

A Lufthansa destacou na última sexta-feira (24) que não tem caixa suficiente para seguir em frente por mais do que algumas semanas sem um auxílio financeiro, pois seus custos bilionários irão minar o que resta de dinheiro disponível.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Boeing 767 da Icelandair se encaminha para um pouso inédito na...

0
A companhia aérea nacional islandesa Icelandair está despachando uma de suas aeronaves Boeing 767 para a Antártica.