Sem voos até setembro, aviação argentina está indo para o abismo, diz associação

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Ontem informamos aqui, em primeira mão, sobre a nova resolução do governo argentino, que prevê que nenhum voo doméstico ou internacional deverá ocorrer no país até setembro. Tal decisão soou um sinal de alerta na ALTA, a Associação Latino-Americana do Transporte Aéreo, que vê um grande risco de colapso no setor.

O Conselho Internacional dos Aeroportos – América Latina (ACI-ALC), a Associação Latino-Americana e do Caribe de Transporte Aéreo (ALTA) e a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) fazem uma chamada urgente às autoridades argentinas sobre o risco iminente e substancial que representa a Resolução 144/2020 (Autorização de Transporte de Passageiros), que restringe a operação da aviação no país até 1 de setembro de 2020.

Esta decisão afeta diretamente todo o setor aéreo da Argentina e da região, companhias aéreas nacionais e internacionais, negócios, comércio, turismo e setores relacionados do país. O risco de sobrevivência que as companhias aéreas enfrentarão sob esta resolução ameaça milhares de empregos no país, a conectividade da Argentina com o mundo, bem como a conectividade interna, vital para o transporte de suprimentos essenciais e o bem-estar econômico e social do país.

Da mesma forma, os aeroportos argentinos enfrentarão uma situação séria, pois devem continuar operando com seus respectivos custos operacionais para atender a carga aérea e voos humanitários, mas sem voos comerciais de passageiros, cuja atividade representa mais de 80% de sua receita.

Entendemos a complexa situação pela qual nossos governantes estão passando, cuja prioridade número um é e será garantir a saúde e a segurança da população diante de qualquer adversidade. Também entendemos o princípio de soberania de cada governo. Entretanto, é nossa responsabilidade expressar a profunda preocupação gerada pela resolução referenciada, que não foi compartilhada ou acordada com a indústria e, além disso, contraria os esforços de todos os atores do setor em propor e implementar um plano para a reativação responsável e segura que restabelece atividades comerciais e um serviço essencial para a população.

Sob a coordenação regional e global da Organização Internacional da Aviação Civil (OACI), o setor de companhias aéreas está desenvolvendo um plano de recuperação de tráfego aéreo de acordo com os mais rigorosos padrões e requisitos de saúde e segurança da Organização Mundial da Saúde (OMS). Será um prazer fornecer às autoridades relevantes atualizações constantes sobre o andamento dessas conversas e oferecer todo o nosso suporte, quando necessário.

A Argentina precisa de transporte aéreo para a comunicação, transporte e operação oportuna de inúmeras atividades econômicas. Somente o setor de viagens e turismo contribui com 10% para o PIB do país e gera 9,4% dos empregos no país, com quase 2 milhões de fontes de emprego, de acordo com estudos do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC). É um setor fundamental para o bem-estar da população.

Cada trabalho na aviação gera quatro empregos adicionais em setores relacionados. É um motor importante para a economia dos países da região e, sem dúvida, um setor que impulsionará a recuperação econômica uma vez superada a emergência sanitária.

Estamos diante de um cenário altamente complexo, no qual cerca de 50% dos custos fixos das companhias aéreas permanecem intactos e também não recebem receita no momento. Infelizmente, muitas empresas do setor não conseguirão sobreviver se esta resolução for implementada conforme o planejado. Em nome das empresas do setor, reiteramos nosso apelo ao diálogo oportuno e à tomada de decisão articulada, diligente e eficiente para o bem-estar da população.

Informações da ALTA

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.

Comentários estão fechados.