Senador processa a Gol após seu voo atrasar 2 horas, mas decisão da justiça não lhe agrada

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) entrou com processo contra a Gol Linhas Aéreas depois que um voo de Brasília para o Rio de Janeiro atrasou duas horas, numa ação iniciada em fevereiro de 2020. O parlamentar alegou que o fato do avião não ter decolado no horário causou-lhe prejuízos, já que teve que arcar com uma nova passagem aérea em outra companhia a fim de não perder uma reunião de trabalho.

Segundo consta nos autos do processo, o senador pedia uma indenização total de R$ 10 mil a título de danos materiais e morais, no entanto, seu intento não prosperou e ele acabou perdendo a ação em primeira e segunda instâncias, conforme decisão tomada nessa semana pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) 

Na decisão, os desembargadores do TJDFT esclareceram que “embora indesejada, a situação não teve o condão de ensejar, por si só, a configuração de danos extrapatrimoniais, posto que não há prova da ocorrência de nenhum tipo de prejuízo significativo suportado pelo recorrente, tendo em vista que este sequer comprovou o horário da reunião de trabalho”.

Além de ter perdido a causa, o senador ainda terá que pagar R$ 1.000 a título de custas processuais e honorários advocatícios dispendidos pela empresa aérea.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Com carga em alta, Qantas vai remover dois A330 da frota...

0
Diante da alta e crescente demanda por voos de cargas, a Qantas resolveu converter dois Airbus A330 de passageiros para cargueiro.