Sindicato quer que Embraer seja reestatizada pelo governo brasileiro

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Após a Boeing romper e desistir da compra da Embraer neste sábado, o Sindicato de Metalúrgicos de São José dos Campos pede que a empresa seja reestatizada.

Embraer E190-E2
Imagem: Divulgação / Embraer.

Segundo a entidade, a rescisão do acordo de compra da Embraer pela Boeing é uma reviravolta em uma transação marcada pelo desprezo aos interesses nacionais e dos trabalhadores.

O Sindicato afirma que o fim desse acordo é, principalmente, uma vitória do povo brasileiro e da soberania, e que “o conhecimento acumulado pela indústria nacional de ponta não será, enfim, usado como moeda de troca nessa transação comercial espúria”.

Vale lembrar que o mesmo Sindicato se opôs à privatização da empresa em 1994. Depois daquele ano, a Embraer teve um crescimento exponencial e se tornou a terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo.

O Sindicato defende que o governo brasileiro cumpra o seu papel em favor da nossa soberania e reestatize a Embraer para que, diante dos efeitos colaterais a serem provocados pela ruptura do acordo, agravados pelas consequências econômicas causadas pela pandemia do coronavírus, os empregos e direitos dos trabalhadores sejam preservados integralmente.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias