Mais uma empresa ainda aposta no Airbus A380 e segue renovando seu interior

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Avião Airbus A380 sunset Singapore Airlines
Imagem: Maarten Visser / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

Já nos acostumamos a ver a companhia aérea Emirates como uma voz solitária na previsão de que o gigante Airbus A380, o maior avião de transporte de passageiros do mundo, ainda tem vários anos de utilidade nas operações comerciais.

Com sua frota de mais de 100 unidades do modelo de dois andares, a companhia árabe pretende usá-los ao menos até o final da atual década, sempre justificando que seu modelo de negócios – possuir grande quantidade do superjumbo e oferecer uma experiência de alto padrão aos passageiros que o voam – é o motivo pelo qual obtém tanto sucesso em usar o A380, enquanto quase todas as demais empresas sofreram com operações deficitárias.

Mas uma movimentação dos últimos dias revela que outra companhia também compactua com a visão de que o grande jato da Airbus ainda tem ao menos alguns bons anos de utilidade no transporte de passageiros.

A Singapore Airlines, segunda maior operadora do A380 no mundo, tendo recebido 24 unidades, acaba de retirar um dos jatos da estocagem, em que era mantido há meses devido à crise da Covid-19, e o enviará para atualização de seu interior, o chamado “retrofit” da cabine de passageiros.

Segundo publicação de Peter Tomasch, gerente regional de relações públicas para a Europa e gerente de comunicações para a Alemanha na Singapore Airlines, a companhia aérea “confirmou que uma de nossas aeronaves A380 que estava armazenada em Alice Springs iniciou seu retorno planejado ao SIN (aeroporto de Cingapura) para retrofit”.

A aeronave em questão é o A380 registrado sob a matrícula 9V-SKQ. Ele havia sido enviado para estocagem em 27 de junho do ano passado, portanto, estava há quase 8 meses fora de operação.

Dados da plataforma de radar FlightRadar24 mostram que o jato decolou nesta segunda-feira, 22 de fevereiro, do aeroporto de Alice Springs, conhecido por ser local de estocagem de aviões na desértica região central da Austrália.

O A380 voando a 22 mil pés até Sydney – Imagem: FlightRadar24

Inicialmente o A380 foi enviado para Sydney, possivelmente devido à infraestrutura de Alice Springs não ser adequada para que a aeronave seja preparada para um voo direto de longo curso até a base da Singapore.

O translado do dia 22 foi executado em altitude máxima de 22 mil pés, e informações não oficiais indicam que ocorreu sem o recolhimento do conjunto de trens de pouso, pois, em função da longa estocagem, o conjunto passará por uma inspeção em Sydney antes do voo até Cingapura.

Pode ser simples coincidência, mas parece haver uma relação direta entre o que afirma a Emirates sobre seu sucesso com o uso do A380 e a continuidade do modelo em operação também na Singapore Airlines.

Além de ser a segunda maior operadora do modelo, a companhia do extremo oriente também se destaca pelo oferecimento de um serviço de alto padrão a seus passageiros. Enquanto a Emirates é reconhecida por sua luxuosa cabine privativa, a Singapore tem até mesmo suíte com cama de casal a bordo.

Parece que a combinação de grande frota com serviço premium é realmente o modelo de negócios exato para tornar financeiramente viável a operação do gigante avião de dois andares.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias