SKY se compromete a contratar mais mulheres para pilotar seus aviões

Reportando estar ciente das lacunas que ainda existem em torno de algumas profissões, a chilena SKY, juntamente com o Ministério da Mulher e Igualdade de Gênero do Chile, prometeu aumentar o recrutamento de mulheres pilotos para 10% até 2020; 15% para 2121 e 20% para 2022.

De acordo com a Associação Internacional de companhias aéreas, IATA, o número de passageiros de transportes aéreos em todo o mundo aumentará em 6% este ano de 2019, atingindo um recorde de 4,59 bilhões e prevê que poderia alcançar 8,2 bilhões. Dado o aumento importante de passageiros, serão exigidos mais de 600.000 novos pilotos comerciais nas próximas duas décadas, o que significa uma grande oportunidade, considerando que, no Chile, apenas 5% do total destes são mulheres.

Junto com o aumento da dotação de mulheres pilotos nos próximos três anos, a SKY também lançou o programa “Mulher, se atreva a voar”, cujo objetivo será o de trazer as jovens mulheres e meninas para a carreira de aviador.

Assim, a cada ano, durante a última semana de julho, SKY vai organizar uma atividade para que as mulheres que querem ser piloto comercial possam aproximar-se da companhia aérea e conhecer os vários processos de uma operação de voo e como é a experiência de voar.

A atividade, que terá 30 vagas disponíveis para jovens mulheres e meninas de todo o Chile, quem podem aplicar no site da SKY.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.