Sobre os Andes, voamos no modernissimo cargueiro Airbus A400M

Nossa aventura teve início em Santiago do Chile, onde recebemos o convite da Airbus Defense para conhecer de perto o desempenho em voo da aeronave de transporte militar Airbus A400M.




Por volta das 9h me apresentei no chalé da Airbus na vigésima edição da FIDAE, realizada na Base Aérea de Pudahuel, que fica anexa ao aeroporto internacional Arturo Merino Benítez na capital chilena.

Antes do voo, realizamos uma visita monitorada à aeronave. Quem nos acompanhou foram Ambra Canale, Comunicação Corporativa da Airbus, e Felipe Indo e Paul Venturino da Strategika, que prestou assessoria à Airbus durante a feira.

Paul Venturino, Gloria Illas e Felipe Indo

O Airbus A400M que esteve em demonstração pertence ao Ejercito del Aire, que fica baseado na Ala 31 da Base Aérea de Zaragoza na Espanha. O Ejercito del Aire introduziu o A400M há pouco mais de um ano para substituir os C-130 Hércules. O A400M tem capacidade para transportar duas vezes mais cargas que o C-130. Por ser a maior aeronave da força devido ao seu porte e capacidade de carga, foi batizado com o callsing via rádio de “DUMBO 40” mantendo a tradição espanhola.

Na visita monitorada conhecemos um pouco desta moderníssima aeronave, que tem capacidade para transportar cerca de 120 toneladas. O A400M apresenta-se como uma aeronave bem versátil, podendo ser configurado rapidamente. O avião é uma poderosa ferramenta de ajuda, sendo utilizado no transporte de tropas, paraquedistas, suprimentos de ajuda humanitária, veículos blindados e também poderá ser utilizado para abastecimento em voo.

Segundo a Airbus, o avião pode ser convertido em ambulância aérea. A aeronave possui conexões para a instalação de oxigênio e demais equipamentos necessários para remoção de enfermos, além de possuir proteção DQBRN para atuar em áreas com risco de contaminação química e biológica.

O A400M é uma aeronave preparada para pousos e decolagens em pistas improvisadas, não preparadas e curtas. A performance é notável e a sobra de potência em relação ao baixo peso do voo de demonstração foi algo muito evidente.

Voando sobre a Cordilheira dos Andes

Os convidados foram acomodados em assentos laterais individuais e pouco confortáveis, utilizados para transporte de paraquedistas e tropas. Porta fechada e travada, inicia-se o nosso “push” pelo pátio até a taxiway onde teve o início do acionamento dos motores turboélice Europrop TP400-D6.

Foram pouco mais de 20 minutos até o alinhamento da aeronave na cabeceira. Após ouvir do comando a autorização para decolagem, com o empuxo de 11.000 hp (8 200 kw) de cada motor ganhamos potência máxima e percorremos a pista 35R, ganhando os céus como um “dragster” rumo aos Andes.

O Airbus me surpreendeu pela potência de seus motores (que são os maiores turboélices do mundo) e o baixo ruído a bordo. Poucos minutos após a decolagem, estávamos sobre os Andes, quando recebemos o aviso para desafivelar os cintos e sair de nossos assentos. Os convidados se revezavam para fazer seus registros externos dos motores junto à paisagem incrível que nos proporcionavam as oito janelinhas existentes a bordo, todas pequenas com 30cm de altura e 20cm de largura em média.

Gloria Illas nos convida para conhecer a cabine de comando, mas sem autorização do Ejercito del Aire para fotografias. A rápida visita, sob os olhares atentos dos tripulantes da aeronave, foi muito marcante. Apreciar a sofisticada cabine do A400M parecia algo surreal, com grande espaço interior, janelas com uma ampla visão externa, comandos de voo fly-by-wire e o que existe de mais moderno e avançado no conceito Glass Cockpit. Nas laterais, o tradicional comando por sidesticks utilizado pela Airbus em suas aeronaves.

Após a visita, retornamos aos nossos assentos, afivelamos os cintos e seguimos rumo à Base Aérea de Pudahuel. Poucos minutos depois, iniciamos descida e tocamos a pista 17L sob os aplausos dos convidados.

A experiência a bordo no A400M me levou a crer que, mesmo com alguns problemas enfrentados, como atrasos e adequações de sistemas exigidos por algumas forças armadas, esta aeronave projetada com o que existe de mais moderno no mundo está preparada para ser o avião de transporte multimissão estratégico que pretende devido as suas infinitas qualidades e sua confiabilidade.

Luis Neves

É agente de turismo e acompanha a evolução da aviação brasileira desde o final da década de 80. Fotografa tudo o que voa e tem uma das maiores coleções de fotos de aviação do Brasil.