South African deve se desfazer de 19 de seus 40 aviões alugados

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Em meio aos planos para tentar se salvar da crítica situação financeira pela qual passa, a estatal South African Airways estaria acertando a devolução de 19 dos 40 aviões de passageiros alugados que compõem sua frota.

Avião Airbus A330-200 South African

Segundo o Flight Global, detalhes sobre a negociação das devoluções, que fariam parte do plano de resgate da companhia aérea, foram revelados pelo partido político de oposição ao governo sul-africano.

Além dos 19 em devolução, que incluem alguns aviões que até mesmo já foram entregues de volta aos lessores (como os que passarem pelo Brasil recentemente), outros 15 jatos estariam em negociação para redução do valor do leasing (aluguel), mas com a conclusão do processo aguardando até que a empresa tenha maior clareza sobre como será seu retorno às operações.

Conforme divulgou o ch-aviation, as 19 aeronaves incluiriam:

  • três A340-600 e cinco A330-200 já devolvidos;
  • sete A319, um A330-200 e três A340-300 com alugueis já cancelados ou com o cancelamento em negociação.

As 15 aeronaves para as quais se busca redução do valor do aluguel seriam:

  • dez A320;
  • cinco A330-300.

Por fim, as outras 6 das 40 aeronaves alugadas incluiriam:

  • dois cargueiros B737-300F já devolvidos;
  • quatro A350-900 recentemente recebidos, cujo futuro depende da evolução do plano de recuperação.

A South African ainda possui outros 9 aviões próprios, sendo eles de modelos Airbus A340-300 e A340-600, que estão à venda.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Latam tem luz verde para obter capital ‘mais barato’ como parte...

0
O Tribunal de Falências dos EUA no Distrito Sul de Nova York deu sinal verde para uma linha de crédito de US$ 750 milhões oferecida