Start-up acusa Boeing de roubo de tecnologia e briga vai para os tribunais

A Zunum Aero desejava desenvolver um avião híbrido-elétrico, mas o projeto fracassou. Agora, a empresa acusa seu ex-parceiro Boeing de roubá-los deliberadamente.

Em 2017, a Zunum Aero convenceu dois grandes investidores, Boeing e Jetblue, a injetarem dinheiro na start-up americana que desejava desenvolver um avião híbrido-elétrico com até doze assentos. Com sócios e dinheiro garantidos, o projeto começou.

Dois anos depois, em 2019, a Zunum começou a ter problemas. Os custos aumentaram e outras tentativas de financiamento falharam. A empresa teve de demitir funcionários e fechar plantas até que os sócios não demonstraram mais interesse e o negócio naufragou, segundo uma matéria do Seattle Times.

Em novembro de 2020, a Zunum entrou com uma ação contra a Boeing no Tribunal Superior de Washington, conforme relatado pela revista de tecnologia The Verge. A start-up a acusa de ser a causa do fracasso.

“A Boeing viu uma empresa inovadora com um caminho aprimorado e estava interessada em um investimento e uma parceria com a Zunum”, cita o processo visto pelo The Verge. “Mas, em vez disso, a Boeing roubou a tecnologia da Zunum e atrapalhou deliberadamente a empresa recém-chegada a fim de manter sua posição dominante na aviação comercial, suprimindo a concorrência”.

Interferência

A Zunum diz que a Boeing interferiu nos seus esforços para levantar capital adicional e deliberadamente os sabotou. A empresa falida também acusa a grande corporação de roubar engenheiros da Zunum e copiar planos e tecnologias que a Boeing, como investidora, teve conhecimento. “Percebeu-se que a Boeing estava recriando secretamente um protótipo baseado no design de Zunum”, diz a denúncia.

Ainda segundo a Zunum, a Boeing também abordou a fabricante francesa de motores Safran com planos de copiar a tecnologia. Portanto, a Zunum listou a Safran como co-réu no processo, assim como a divisão de investimentos da Boeing, Horizon X. Com tudo isso, a Zunum está exigindo uma milionária compensação e indenização. 

Um porta-voz da Boeing disse ao The Verge que o processo era infundado e seria “vigorosamente” contestado no tribunal.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias