Avião Superjet da Yakutia danifica sua fuselagem durante pouso na Rússia

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

RA-89035 Yakutia Airlines Sukhoi SSJ-100-95-LR-100 Superjet 100 (RRJ-95LR) "Vasily Manchaara"

Em mais um caso de tail strike (impacto da cauda de um avião contra a pista) nos últimos dias, um jato de passageiros de fabricação russa teve sua fuselagem danificada durante incidente no pouso.

Segundo informações do The Aviation Herald, o avião envolvido na ocorrência foi o Sukhoi Superjet 100 registrado sob a matrícula RA-89035, da companhia aérea russa Yakutia, quando executava o voo de número R3-491 de Yakutsk para Vladivostok, ambas na Rússia.

A aeronave pousou em uma das pistas de Vladivostok, mas bateu com a cauda na superfície durante o procedimento. Apesar do incidente, o jato taxiou até o pátio do aeroporto sem problemas. Uma inspeção posterior encontrou marcas de danos na área atingida.

Danos Cauda Tail Strike Sukhoi Superjet Yakutia

Dados meteorológicos dos horários próximos ao do pouso indicam vento de baixa intensidade e visibilidade horizontal maior do que 10 km, com nuvens a 1200 pés de altura:

UHWW 111030Z 22003MPS 9999 SCT012 20/18 Q1010 R25L/0///70 NOSIG RMK QFE756=
UHWW 111000Z 25007MPS 9999 SCT036 20/18 Q1010 R25L/0///70 NOSIG RMK QFE756=

Segundo registro de rastreamento do FlightRadar24, o RA-89035 já voltou a executar voos regulares nos dias posteriores à ocorrência, subindo acima de 30 mil pés, o que sugere que os danos devem ter sido apenas superficiais, sem comprometimento da estrutura do Superjet.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduado em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Avião Boeing 767-300 Azur Air

Boeing 767 da Azur com 346 a bordo bateu a cauda...

0
Uma inspeção na pista revelou vestígios de contato da fuselagem com o solo, evidenciados por tinta e metal ao longo de uma distância de 101 metros.