Surpreendente: Emirates diz até quando pretende voar com seus A380

A380 Emirates

A companhia aérea emiradense, famosa pela respeitável frota de grandes aeronaves, tomou uma decisão difícil. Em meio ao desaquecimento da economia global, a empresa informou ao mercado nesta quarta-feira (4) que vai começar a tirar de cena mais de 20 Airbus A380 até o final de 2020. Os aviões serão gradualmente devolvidos, na medida em que os contratos de leasing forem vencendo.

No total, a Emirates opera 112 Airbus A380 e ainda tem 11 para receber, totalizando 123. Dois A380 já foram retirados de serviço e estão no novíssimo aeroporto Dubai World Central (DWC), sendo usados comode sobressalentes para a frota operacional. Outros, serão aposentados em breve para servirem de peças de reposição. Segundo o presidente da empresa, Tim Clark, é melhor tirar um trem de pouso de outro avião da frota do que comprar um por US$ 25 milhões.

Clark enfatizou que o A380 permanecerá parte da frota por muitos anos, embora ele espere que a frota comece gradualmente a declinar: “esta aeronave ainda estará voando na Emirates em 2035. A frota estabilizará em cerca de 115 aviões em algum momento e, em seguida, provavelmente deve descer para cerca de 90-100 no meio da próxima década. Assim, o A380 continuará a ser um componente importante do nosso mix de frota para os próximos 15 anos, pelo menos”, salientou.

Outra mudança de planos foi a decisão de não instalar suas novas suítes de primeira classe nos A380, como a empresa vez fazendo nos 777. No entanto, a companhia aérea apresentará cabines de economia Premium no A380 em novembro do próximo ano.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.