Suspeita de raio em turboélice ATR-72 causa pouso em aeroporto alternado

ATR-72 da Air New Zealand, semelhante ao que foi atingido por um raio. IMAGEM: Aeroprints.com/Wikimedia

Um raio provocou uma mudança de planos durante o pouso de um ATR-72 da companhia aérea Air New Zealand, na Nova Zelândia. O voo foi desviado após a tripulação suspeitar que o turboélice fora atingido por descarga elétrica, e fez um pouso não programado no Aeroporto de Auckland (AKL) em vez da chegada prevista no Aeroporto Internacional de Hamilton (HZL).

O incidente ocorreu em 25 de novembro. De acordo com informações divulgadas pelo portal Aerotime, a aeronave registrada como ZK-MVF realizava o voo doméstico NZ-5814, entre a capital Wellington e a cidade de Hamilton. Havia alertas de tempestade na rota do bimotor quando o piloto suspeitou que um raio houvesse atingido o avião, que tem capacidade para 68 pessoas.

Por precaução, o comandante resolveu interromper o voo que duraria, no máximo, 75 minutos. O pouso de segurança aconteceu às 10h42 (horário local) sem qualquer incidente adicional. Após o pouso, os passageiros foram colocados em outros voos para seguir viagem a Hamilton.

Segundo o portal Simple Flying, os engenheiros da Air New Zealand não encontraram maiores problemas na aeronave, que permaneceu no solo por quase 24 horas. Na manhã seguinte, o turboélice estava de volta aos negócios, operando um serviço regular de Auckland para Palmerston North.

O ZK-MVF é uma aeronave relativamente nova, com seis anos de operação na Air New Zealand. A companhia possui, ao todo, 28 ATR-72s, comumente usados na aviação doméstica do país.

Raios

Em nota, a Air New Zealand informou que raios não são incomuns na região, nesta época do ano, e os pilotos são treinados para lidar com essa situação. Embora, as aeronaves de todo o mundo sejam devidamente preparadas para este tipo de situação, as descargas elétricas naturais têm sido uma intercorrência comum nos voos na companhia nos últimos meses.

No final de setembro, um Airbus A320neo operava um voo da cidade de Invercargill para Auckland. Durante a aproximação ao destino, um raio atingiu a aeronave, que conseguiu pousar sem problemas.

No início de agosto, um Airbus A320 transportava 144 passageiros e tripulantes entre Auckland e Queenstown quando foi atingido por um raio ao norte de Christchurch. A aeronave então foi desviada para o aeroporto da cidade e pousou com segurança. Um passageiro disse que viu quando um raio atingiu a parte superior do motor direito.

Em maio deste ano, um Boeing 787-9 Dreamliner foi atingido por um raio enquanto voava de Auckland a Papeete, na Polinésia Francesa. Após o relâmpago, o piloto fez o Boeing voltar para Auckland, pousando com segurança.

Você pode conferir uma reportagem especial sobre a segurança das aeronaves em voo durante uma tempestade de raios e os procedimentos tomados quando atingida clicando aqui ou logo abaixo.

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias