TAAG Angola Airlines solicita retorno dos voos regulares ao Brasil

Mais uma empresa solicita o retorno das operações regulares ao Brasil. Trata-se da angolana TAAG, que teve o pedido de retorno da rota ligando Luanda a São Paulo aprovado pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Avião Boeing 777 TAAG
Boeing 777 da TAAG

Os voos têm previsão de serem retomados no dia 11 de junho com cinco frequências semanais, às segundas, quartas, sextas, sábados e domingos, operados com seu Boeing 777-300ER, capaz de levar até 293 passageiros.

Desde que as fronteiras brasileiras foram fechadas para estrangeiros no final do mês de março, a TAAG operou um punhado de voos de repatriação e cargueiros ao Brasil usando aviões de passageiros, de maneira não regular.

Assim como antes a suspensão dos voos, em março, os serviços retomados agora serão centralizados em São Paulo, uma vez que a empresa cancelou suas operações no Rio de Janeiro no final de 2019, após 34 anos operando na rota. Com laços no idioma português, há muitas empresas brasileiras operando em Angola, o que torna a ligação entre os dois países fundamental.

A TAAG

A TAAG é uma empresa estatal baseada em Luanda que conta com uma frota de 13 aeronaves. Antes da pandemia, a empresa voava para 31 destinos domésticos, regionais na África e alguns internacionais, para o Brasil e Portugal e, sazonalmente, para outros destinos do mundo, inclusive no Nordeste do Brasil, deslocando funcionários de empresas brasileiras.

Desde 2009 a empresa possui um banimento parcial na Europa, que lhe impede acessar o espaço aéreo de alguns países europeus com determinados tipos de aeronaves. Ainda assim, é uma situação melhor do que o banimento total, que perdurou até o final de 2008.

Suas finanças não são claras, já que os números nem sempre são divulgados pelo governo local, no entanto, existe um esforço atual em dar mais transparência à TAAG, a fim de que ela possa atrair investimentos estrangeiros. Uma das interessadas seria a Qatar Airways.

Nova pintura

Ontem (28), uma foto de um Boeing 737-700 da TAAG ostentando um novo padrão de cores emergiu nas redes sociais sinalizando que a empresa pode vir a aplicar um novo esquema de cores, mais moderno e ameno, à sua frota.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Grupo Itapemirim quer participar das concessões dos aeroportos brasileiros

0
O presidente do Grupo Itapemirim, falou sobre as ambições da empresa em entrevista à Folha, que incluem ganhar licitações para concessão de aeroportos.